PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Vôlei: Brasil vence a Sérvia e se recupera na Liga das Nações

Bruninho, da seleção de vôlei, em vitória sobre a Sérvia - FIVB
Bruninho, da seleção de vôlei, em vitória sobre a Sérvia Imagem: FIVB
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

23/06/2022 11h53

A seleção brasileira masculina de vôlei se recuperou de uma série de três derrotas seguidas na Liga das Nações e venceu a Sérvia nesta quinta-feira (23), na Bulgária, em seu sétimo jogo na competição, e reduziu a pressão sobre o grupo e, especialmente, sobre o técnico Renan Dal Zotto. O triunfo veio em três sets, com parciais de 25/18, 26/24 e 25/17. Lucarelli foi o destaque, com 14 pontos.

Ainda que a Sérvia tenha um time tradicional no vôlei masculino, a campanha da seleção europeia na VLN (como a Liga das Nações é chamada) até aqui é ruim, com só duas vitórias em sete jogos. E o Brasil aproveitou a fragilidade do adversário para arriscar mais no saque do que no jogo de ontem contra a Polônia, quando só fez um ace. Hoje foram cinco.

A vitória vem em hora importante, depois de três derrotas. O Brasil abriu a VLN em casa, em Brasília, onde venceu os dois primeiros jogos contra rivais de menos tradição, Austrália e Eslovênia, mas depois caiu para os Estados Unidos e, de forma surpreendente levou 3 a 0 da fraca seleção da China.

Já sob pressão em Sofia, na Bulgária, o Brasil perdeu ontem da Polônia, sendo facilmente dominado em dois sets. Mas uma recuperação no fim do terceiro set deu moral para a seleção buscar a recuperação hoje, quando Renan voltou a aproveitar o que tem de melhor. Hoje, porém, ele deu mais tempo de quadra a Lucarelli, que correspondeu.

O ponteiro fez 14 pontos, sendo dois no saque, enquanto que o oposto Alan marcou 13. Leal também foi bem, 11. Lucão, Flávio e Bruninho completaram o time titular. A novidade foi a ausência do líbero Maique, preferido da torcida, que vinha revezando em quadra com Thales. Hoje, só o segundo jogou.

Com três vitórias em sete jogos, o Brasil aparece, por enquanto, na sétima posição da classificação geral, com nove pontos. Na semana mais dura da Liga das Nações, o Brasil ainda pega o Irã, amanhã, às 10h30, e a Bulgária, no domingo, às 14h. Na última semana, no Japão, o Brasil enfrenta Alemanha, Canadá, França e Japão.