PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Brasil perde só um jogo e avança com 7 duplas no Mundial de Vôlei de Praia

Bárbara Seixas e Carol Solberg no Mundial de Vôlei de Praia - FIVB
Bárbara Seixas e Carol Solberg no Mundial de Vôlei de Praia Imagem: FIVB
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

15/06/2022 13h32

Por muito pouco o Brasil não teve um dia perfeito na primeira rodada da fase eliminatória do Mundial de Vôlei de Praia, que está sendo disputado em Roma, na Itália. Foram sete vitórias em oito jogos, e a única derrota foi de virada, para as atuais campeãs mundiais. Taiana e Hegê são, portanto, a única dupla do Brasil eliminada do torneio.

O problema é que as atuais campeãs do Mundial, as canadenses Sarah Pavan e Melissa, estão no caminho das demais brasileiras, que deram o azar de cair no mesmo quadrante do chaveamento. Amanhã, às 14h locais (9h do Brasil), Bárbara e Carol Solberg enfrentam Duda e Ana Patríca, em duelo que vai eliminar uma das favoritas.

Logo em seguida, Talita e Rebecca jogam contra Pavan e Melissa, em confronto que também vai envolver duas duplas que têm grandes chances de título. Depois, nas quartas de finais, as vencedoras desses dois duelos se enfrentam.

Hoje, Bárbara e Carol passaram fácil por Wang/Xia, da China, com parciais 21/18 e 21/15, e Duda e Ana Patrícia atropelaram as japonesas Ishii/Mizoe, com 21/11 e 21/14. Depois, Talita e Rebecca perderam um set para Laboureur/Schulz, da Alemanha, com vitória por 19/21, 21/12 e 15/7.

A única derrota veio com Taiana e a estreante Hegê, que, apesar de ter 26 anos, disputa no Mundial só sua quinta etapa de circuito mundial fora do Brasil. As brasileiras venceram Pavan e Melissa por 21/18 no primeiro set e tinham 18/15 no segundo, quando se desequilibraram. Erraram ataques, falharam na recepção de saque, e perderam o segundo set por 21/18. Depois, não conseguiram reagir no tie-break, com derrota por 15/10.

No masculino, porém, o dia foi perfeito. Começou com André/George fazendo 21/18 e 21/15 em McHugh/Burnett, da Austrália, seguiu para uma importante vitória de Bruno Schmidt e Saymon sobre os tricampeões do circuito mundial Samoilovs e Smedins, da Letônia, em equilibrados 21/19 e 29/27, e continuou com um triunfo de 2 sets a 1 de Renato e Vitor Felipe sobre Perusic/Schweiner, da República Tcheca. Por fim, Alison e Guto fizeram 21/19 e 21/18 sobre os veteranos espanhóis Herrera e Gavira.

Nas oitavas, André e George enfrentam outra dupla da Austrália: Nicoladis/Carracher. Bruno e Saymon ainda esperam a definição dos rivais, que podem ser Cherif/Ahmed, do Qatar, medalhistas de bronze em Tóquio. Alison/Guto e Renato/Vitor Felipe também ainda vão conhecer os adversários, que tendem a ser, nos dois casos, duplas italianas.