PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Sob risco em Olimpíadas, boxe ignora guerra e reelege russo como presidente

Umar Kremlev, presidente da IBA - Divulgação
Umar Kremlev, presidente da IBA Imagem: Divulgação
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

16/05/2022 14h01

Enquanto a maior parte das modalidades olímpicas toma posturas radicais contra atletas, treinadores e oficiais russos, o boxe, um dos esportes que mais corre risco de sair do programa olímpico, reelegeu ontem como presidente um dirigente russo apoiado pelo Kremlin. E em uma eleição na qual seu opositor teve sua candidatura impugnada no dia da votação.

A eleição deveria ter acontecido na sexta-feira, em Istambul (Turquia), durante o Campeonato Mundial feminino. Mas, horas antes da votação, um órgão supostamente independente da Associação Internacional de Boxe (IBA), a antiga AIBA, impugnou o holandês Boris van der Vorst e quatro candidatos de oposição ao conselho.

No entender deste órgão independente, todos eles fizeram campanha antecipada. Com isso, o caminho ficou aberto para o russo Umar Kremlev, que é presidente da IBA desde dezembro de 2020, e foi aclamado em eleição que acabou sendo realizada no sábado. Van der Vorst, porém, já avisou que vai apelar da decisão na Corte Arbitral do Esporte (CAS).

A reeleição de Kremlev vem durante a guerra iniciada pela Rússia contra a Ucrânia e que levou à renúncia de dirigentes russos em diversas modalidades, como na esgrima. Empresas russas também foram retiradas do posto de patrocinadoras de várias federações internacionais.

No caso do boxe, a relação entre Kremlev e o governo russo é pública. "Parabéns a Umar Kremlev por sua reeleição como presidente da Associação Internacional de Boxe. "É especialmente significativo que sua reeleição tenha ocorrido em um momento difícil para o esporte russo. "Tenho certeza de que, sob a liderança do Kremlev, a IBA continuará a se desenvolver com sucesso", comentou o ministro do Esporte da Rússia, Oleg Matytsin.

O boxe está confirmado no programa de Paris-2024, com critérios de classificação formulados pela IBA, na gestão Kremlev, e aprovados pelo COI, que tinha especial preocupação que estes critérios fossem justos. Mas o COI segue cobrando uma melhor governança no boxe para manter a modalidade no programa de Los Angeles-2028. Por enquanto, a presença da modalidade na Olimpíada de daqui a seis anos não está confirmada, e depende da reorganização da IBA.