PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Técnico olímpico de hipismo é acusado de estuprar aluna de 12 anos

John Sillett - Reprodução/Twitter
John Sillett Imagem: Reprodução/Twitter
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

05/01/2022 15h13

Um reconhecido técnico de hipismo da Inglaterra, John Sillett, é acusado de estuprar durante sete anos uma das suas alunas, que tinha 12 anos quando os episódios de assédio sexual teriam começado. O homem de 55 anos, que está sendo julgado pelo Tribunal de Winchester, nega todas as acusações.

Silett enfrenta cinco acusações de estupro, cinco de agressão com penetração e outras duas de assédio sexual. Durante o julgamento, que ainda está em curso, o promotor Kerry Maylin disse que Sillett começou apalpando a garota, antes de estuprá-la e agredi-la.

Após o primeiro desses estupros, a vítima teria confrontado o treinador, que teria pedido para manter segredo sobre aquilo. "A resposta dele para aquela garotinha foi: 'Sinto muito, não conte a ninguém'. Ela não contou e a vida seguiu em frente", disse o promotor, segundo a BBC.

A vítima, que não tem seu nome divulgado pela imprensa britânica, participou do julgamento através de um depoimento gravado em vídeo e disse que tinha tanto medo que não conseguia reagir às agressões.

Silett trabalhava no Wellington Riding Centre, em propriedade do duque de Wellington. No site do estabelecimento, o treinador se gabava de ter "treinado cavaleiros de nível olímpico, cavaleiros que se tornaram parte da equipe britânica de saltos de salto e numerosos atletas que representaram seus países internacionalmente".

O acusado tem o mesmo nome do pai, John Sillett, que foi jogador do Chelsea nas décadas de 1950 e 1960 e, como treinador, levou o pequeno Coventry City ao título da Copa da Inglaterra em 1987. O ex-jogador morreu em novembro do ano passado.