PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Keila Costa anuncia aposentadoria após quatro Olimpíadas no atletismo

Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

16/11/2021 14h48

Umas das protagonistas do atletismo brasileiro desde o início deste século, Keila Costa está aposentada como atleta. Primeira mulher do país a conquistar uma medalha um Mundial da modalidade, a pernambucana de 38 anos, que já atua como secretária municipal de Esportes em Abreu de Lima (PE), anunciou que pendurou as sapatilhas.

"Ganha, dá vontade de continuar, mas eu coloquei na minha cabeça que esse seria o meu último ano, faria mesmo a tentativa para ir à Olimpíada e aí ia pegar a minha sapatilha e pendurar. Em 2022, não vão ver Keila atleta do atletismo", disse ela em uma live da Confederação Brasileira de Atletismo.

Keila Costa surgiu para o esporte brasileiro no Mundial Juvenil de 2002, em Kingston, na Jamaica, quando conquistou a medalha de bronze no salto triplo. Ela voltaria ao pódio de uma grande competição no Mundial Indoor de 2010, no Qatar, quando foi bronze no salto em distância. A pernambucana, afinal, manteve resultados consistentes nas duas provas, algo que foge à regra.

Em 2007, foi às finais tanto do triplo quanto do salto em distância no Mundial de Osaka. No mesmo ano, ganhou duas medalhas no Pan do Rio. No Mundial Indoor, foi finalista também em 2008, em Valencia, na distância. Dos sete títulos sul-americanos que venceu, cinco foram no salto triplo, o último deles este ano, em maio, no Equador.

Olímpica em Atenas-2004, Pequim-2008, Londres-2012 e Rio-2016, Keila pretendia encerrar seu ciclo como atleta em Tóquio, mas não conseguiu a vaga para sua quinta Olimpíada. Sem lugar no Japão, ganhou o Campeonato Pernambucano, em agosto, sua última competição. Agora, sua dedicação é ao trabalho na secretaria de Esportes e como treinadora.

"Eu trabalho na secretaria e depois dou treino. Começa lá pelas 16:30 e a gente vai até 19 horas. É tudo novo para mim, tudo o que eu sei é como atleta. Mas tive ótimos treinadores, professores que me ensinaram o que é o atletismo, da base ao alto rendimento", disse ela.