PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Velocista francês fica fora de Tóquio e culpa reação adversa à vacina

Usain Bolt (esquerda) venceu prova dos 200m na Liga de Diamante, seguido de C. Lemaitre (08/07/2011) - Franck Fife/ AFP Photo
Usain Bolt (esquerda) venceu prova dos 200m na Liga de Diamante, seguido de C. Lemaitre (08/07/2011) Imagem: Franck Fife/ AFP Photo
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

23/06/2021 14h54

Primeiro homem branco a quebrar a barreira dos 10 segundos na prova de 100m rasos, Christophe Lemaitre não deverá participar da Olimpíada de Tóquio. O velocista anunciou hoje (23) sua desistência de competir no Campeonato Francês, que seria sua última chance para conseguir o índice olímpico. E culpou as reações à vacina contra a covid.

Em comunicado reproduzido pelo jornal francês L'Equipe, Lemaitre disse que a decisão foi tomada com a sua equipa técnica, justificando que ele "não está a 100% das suas condições físicas, notadamente por causa das reações adversas à vacina contra a covid".

"Houve um período em que os exames dele estavam excelentes, no mesmo nível de antes. E depois que ele foi vacinado não o reconhecíamos mais", disse ao jornal francês o técnico Pierre Carraz. Ele, porém, já tem resultados irreconhecíveis há algum tempo.

Lemaitre, de 31 anos, foi medalhista de bronze com o revezamento francês na Olimpíada de Londres-2012 e repetiu a cor da medalha nos 200m na Rio-2016, Desde a Olimpíada carioca, porém, seus resultados são bem abaixo da elite mundial. Nos 100m, tem somente 10s48 este ano. Nos 200m, em que chegou a correr abaixo de 20 segundos, tem 20s69 este ano e teve 20s65 como melhor de 2019.

Para ir a Tóquio ele precisaria correr os 200m em 20s29 no Campeonato Francês, último torneio antes do fim do prazo de qualificação, que é o próximo dia 29. Ainda há uma possibilidade remota de que ele seja convocado para o revezamento 4x100m livre, o que a imprensa francesa descarta, uma vez que Lemaitre é, hoje, só o 16º do ranking nacional.