PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Austrália vai bancar atletas de vizinhos e ajuda besuntado de Tonga

Pita Nikolas Taufatofua, o "Besuntado de Tonga" - AFP PHOTO / OLIVIER MORIN
Pita Nikolas Taufatofua, o "Besuntado de Tonga" Imagem: AFP PHOTO / OLIVIER MORIN
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

10/06/2021 15h48

A Austrália anunciou que vai dar apoio a cerca de 170 atletas de 11 nações do Pacífico na preparação deles para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Tóquio. Entre os beneficiados está Pita Taufatofua, que foi protagonista da cerimônia de abertura da Rio-2016 e que ficou conhecido como o "Besuntado de Tonga", em referência ao óleo usado no corpo naquele evento e ao país que ele representa.

"Estou chegando à minha terceira Olimpíada e saber que há algum apoio, algum financiamento, para nos ajudar a chegar lá e, espero, em direção a Paris, Los Angeles e Brisbane, é uma virada de jogo para nós. Acomodação, comida, treinamento, é disso que precisamos", disse ele.

O anúncio do apoio financeiro australiano foi feito pela ministra das Relações Exteriores e ministra da Mulher da Austrália, Hon Marise Payne. "É sobre coaching, é sobre viagens, é sobre acomodação, é sobre suporte médico, é sobre permitir a participação naqueles eventos decisivos de qualificação ou treinamento em um ambiente de alto desempenho, pré-Jogos", disse ela.

A medida beneficia Fiji, Micronésia, Kiribati, Nauru, Palau, Papua Nova Guiné, Samoa, Ilhas Salomão, Tonga, Tuvalu e Vanuatu, países pequenos que têm tido dificuldade logística e financeira para se prepararem e para disputarem competições classificatórias para a Olimpíada. No caso de Taufatofua, ele já está classificado para Tóquio, no tae-kwon-do.