PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Principal brasileira do levantamento de peso cai no doping e perde Tóquio

Nathasha Rosa - Washington Alves/Light Press/CBL
Nathasha Rosa Imagem: Washington Alves/Light Press/CBL
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

12/05/2021 13h12

Principal nome do levantamento de peso feminino do Brasil, Nathasha Rosa foi suspensa por doping e está fora dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Número 16 no ranking mundial na categoria até 49kg, ela foi flagrada com substância proibida em exame antidoping surpresa conduzido pela Federação Internacional de Levantamento de Peso (IWF, na sigla em inglês).

O caso já é o terceiro na elite do esporte olímpico brasileiro neste primeiro semestre de 2021, antes dos Jogos Olímpicos de Tóquio. No começo de abril, Flávia Figueiredo, do boxe, foi suspensa pela Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD). No fim do mês. André Calvelo, vencedor dos 100m livre na Seletiva Olímpica da natação, foi tirado da competição depois de revelado exame positivo para um anabolizante. Todos os três são militares.

Nathasha Rosa, de 25 anos, era a brasileira com mais chances de se classificar para os Jogos Olímpicos de Tóquio no levantamento de peso entre as mulheres. Ela foi prata no arranco no Campeonato Pan-Americano realizado no fim do mês passado.

Em nota, a Agência Internacional de Testagem (ITA), órgão privado que tem atuado no combate ao doping contratado por federações internacionais, explicou que a brasileira testou positivo para dois diuréticos durante exame surpresa conduzido em 31 de março. Ela foi suspensa preventivamente e tem direito a solicitar a contraprova.

Esse é o terceiro caso na elite do levantamento de peso do Brasil em pouco mais de cinco anos. Em 2015, Patrick Mendes testou positivo durante os Jogos Pan-Americanos de Toronto - na ocasião, foi o primeiro caso do torneio. No fim de 2018 foi Matheus Gregório, que disputou a Olimpíada do Rio pelo Brasil.