PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Ingrid salta bem em Tóquio e se classifica para a Olimpíada

Ingrid Oliveira disputa os saltos ornamentais no Pan de Lima 2019 -  Abelardo Mendes Jr/ rededoesporte.gov.br
Ingrid Oliveira disputa os saltos ornamentais no Pan de Lima 2019 Imagem: Abelardo Mendes Jr/ rededoesporte.gov.br
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

04/05/2021 00h27

Protagonista dos Jogos Olímpicos do Rio, Ingrid Oliveira vai para sua segunda Olimpíada. A atleta de saltos ornamentais assegurou a classificação para os Jogos de Tóquio, em julho, se apresentando muito bem na Copa do Mundo que está sendo disputada em Tóquio, na mesma piscina onde ela competirá daqui a pouco mais de dois meses.

A Copa do Mundo, um evento que tem peso de Mundial nos saltos ornamentais, tradicionalmente vale como Pré-Olímpico no ano dos Jogos. E nesta temporada não foi diferente, servindo também como retomada da série de eventos-testes dos Jogos de Tóquio, depois de mais de um ano sem eventos do tipo, por causa da pandemia. Como Tóquio está sob estado de emergência, a competição não tem público.

Em busca da vaga na Olimpíada, Ingrid, de 24 anos, competiu muito bem nas eliminatórias da plataforma de 10 metros, na primeira prova do dia hoje (4) em Tóquio. Ela acertou todos os quatro primeiros saltos, se manteve o tempo todo entre as seis primeiras colocadas, e fez um último salto simples, para garantir a 13ª colocação, avançando à semifinal entre as 18 primeiras, critério para classificar à Olimpíada. Ainda hoje ela disputa a semifinal.

Ingrid já poderia ter se classificado para os Jogos em 2019, quando 12 vagas foram atribuídas pelo Mundial e mais uma pelos Jogos Pan-Americanos. Mas ela sofreu uma lesão no punho antes dessas duas competições, não conseguiu competir no Mundial, e, com dores, não foi bem no Pan.

Outra brasileira na prova, Giovanna Pedroso, com quem Ingrid competiu também na prova sincronizada na Rio-2016, ficou em 20º e não conseguiu a classificação para a semifinal e a vaga direta na Olimpíada. Mas ela vai aos Jogos. Depois de todos os países indicarem quem levarão para competir na prova individual e no sincronizado (muitas vezes são os mesmos atletas), as vagas restantes são redistribuídas. E aí, ela entra.

O Brasil já havia classificado três atletas aos Jogos de Tóquio pelas eliminatórias de ontem (3): Luana Lira, no trampolim de 3 metros, e Kawan Pereira e Isaac Souza na plataforma de 10 metros. Kawan competiu em nível de finalista olímpico e disputa a final da Copa do Mundo ainda nesta madrugada brasileira.