PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Renan Dal Zotto apresenta melhora e Radamés comemora sair do coma

Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

21/04/2021 14h22

O técnico da seleção brasileira de vôlei, Renan Dal Zotto, apresentou melhora em seu quadro clínico dois dias após precisar ser intubado, de acordo com boletim médico do Hospital Samaritano Botafogo, no Rio "O paciente está sedado, em ventilação mecânica com melhora do quadro respiratório nas últimas 24 horas e estabilidade clínica", informou o hospital, detalhando que Renan está internado no Centro de Terapia Intensiva (CTI).

Por causa do cateterismo, Renan recebeu muito líquido durante o dia de ontem (20) e existia a preocupação de que isso afetasse seu pulmão, o que não aconteceu. A cirurgia na artéria femoral, aliás, foi considerada um sucesso, desentupindo o fluxo de sangue entre o pé o coração.

Já o vice-presidente da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), Radamés Lattari, que também está internado com covid, saiu do coma na sexta e enviou uma mensagem de áudio à reportagem, na sua primeira declaração à imprensa desde que foi acometido pela doença.

"Após a apresentação da seleção em Saquarema (RJ), achei que não estava me sentindo bem, parei numa farmácia e fiz o teste rápido, que acusou o covid. Vim, me internei no hospital Vitória. Fiquei nove dias intubado, em coma. Saí do coma na sexta-feira e agora estou iniciando a reabilitação para voltar a falar, já que você fica com um ferro na boca. Perdi muitos quilos, sempre perde massa muscular e perde força... Então eu devo ficar no CTI pelo menos até o dia 30", explicou Radamés.

O vice-presidente da CBV (mas responsável por administrá-la no dia a dia) é educador físico e por isso havia sido vacinado já em janeiro. Em março ele passou por uma bateria de exames de rotina que mostraram que ele já havia criado os anticorpos contra a doença. "Eu tomei dia 28 de janeiro e a segunda seria no dia 28 de abril", contou Radamés.

Ele fez questão de comemorar, na mensagem, que a CBV conseguiu a certificação de que cumpre a Lei Pelé, graças a uma liminar na Justiça, e que isso vai permitir a renovação de contratos de patrocínios importantes, como do Banco do Brasil, que vence na semana que vem. "Como a Adriana (Behar, nova CEO da entidade) está tocando a confederação, eu estou tranquilo. Eu tinha certeza que a gente ia receber a certificação, todos já estavam apalavrados com a gente a renovação dos contratos".