PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Fratus bate Dressel e é primeiro nadador brasileiro qualificado para Tóquio

Bruno Fratus conquista a prata dos 50 metros livre no Mundial de Budapeste - AFP PHOTO / CHRISTOPHE SIMON
Bruno Fratus conquista a prata dos 50 metros livre no Mundial de Budapeste Imagem: AFP PHOTO / CHRISTOPHE SIMON
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

10/04/2021 14h35

Bruno Fratus está qualificado para os Jogos Olímpicos de Tóquio. O nadador brasileiro venceu hoje (10) os 50m livre no TYR Pro Swim Series, na Califórnia, onde pela primeira vez na carreira superou o norte-americano Caeleb Dressel, o grande nadador da atualidade, atual bicampeão mundial da distância. Fratus foi vice nos últimos dois Mundiais, os dois únicos encontros entre os dois atletas até então.

Ele recebeu autorização especial da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) para não precisar vir ao Brasil e disputar a Seletiva Olímpica, que vai acontecer daqui a duas semanas no Rio de Janeiro, a partir do dia 19. Fratus mora nos Estados Unidos e, somando o risco sanitário de pegar um avião e vir ao Brasil, com o critério da meritocracia, a entidade autorizou ele a fazer uma tomada de tempo neste torneio da Califórnia.

Fratus já havia feito, ontem, o terceiro tempo do mundo, 21s73, na fase classificatória. Hoje, venceu com um tempo pior, 21s80, que é abaixo do exigido pela Federação Internacional de Natação (Fina) como índice A para os Jogos Olímpicos de Tóquio: 22s01. Dressel bateu em 21s83.

O problema para Fratus é que esse tempo pode não vir a ser suficiente para colocá-lo em Tóquio. Caso dois brasileiros façam tempos melhores que 21s80 na Seletiva Olímpica, quem irá aos Jogos serão esses dois nadadores, não Fratus. Ou seja, agora resta a ele torcer.

Não que dois brasileiros na casa de 21s7 seja algo provável. Nem de longe. Os principais candidatos à vaga olímpica são Pedro Spajari, que tem 21s82 como melhor da carreira, e Marcelo Chierighini, com 21s84. Ítalo Manzine fez 21s82 na seletiva olímpica de 2016, quando tirou Cesar Cielo do Rio, mas nunca mais chegou perto desse desempenho. Recordista mundial, Cesar Cielo não está inscrito — ele nega estar aposentado, mas não compete eventos relevantes.

Siga o Olhar Olímpico no Twitter e no Instagram e receba atualizações diárias no canal do Telegram.

Fratus ainda está inscrito para nadar os 100m livre no TYR Pro Swim Series, com eliminatórias hoje mais tarde e final amanhã, mas ainda não se sabe se ele de fato irá cair na água. O objetivo de nadar os 100m seria se classificar para o time do revezamento 4x100m em Tóquio, mas, uma vez na Olimpíada pelos 50m, Fratus pode ser escalado para o revezamento, como já aconteceu diversas vezes. Os três revezamentos masculinos já têm vaga olímpica.