PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Bruno Schmidt deixa a UTI após quatro dias internado com quadro de covid

Bruno Schmidt, que teve atuação espetacular na final, comemora ponto do Brasil - Quinn Rooney/Getty Images
Bruno Schmidt, que teve atuação espetacular na final, comemora ponto do Brasil Imagem: Quinn Rooney/Getty Images
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

25/02/2021 15h39

O campeão olímpico de vôlei de praia Bruno Schmidt, de 34 anos, recebeu alta ontem (25) da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital de Vila Velha (ES), onde ele ficou quatro dias internado com um quadro grave de pneumonia, provavelmente decorrente de covid. A informação de que o jogador estava hospitalizado só foi divulgada anteontem (23) pela Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), que, contudo, não informou a gravidade do caso, o mais grave entre os atletas da elite do esporte brasileiro desde o início da pandemia.

Pelo que o Olhar Olímpico apurou, a situação gerou muita apreensão entre amigos, familiares e no meio do vôlei de praia. Bruno sentiu febres por dois dias e, ainda disposto, procurou um hospital, onde foi internado enquanto não saia o resultado do teste PCR, para detectar se ele estava com covid. Nas horas seguintes foi diagnosticada uma pneumonia bacteriana e ele precisou passar do quarto para UTI, onde permaneceu lúcido.

No total foram quatro dias internado na Unidade de Terapia Intensiva, sem precisar ser intubado, mas com os pulmões bastante comprometidos. A reportagem apurou, porém, que nenhum teste de covid feito pelo jogador deu positivo, apesar de a CBV e a família dele tenham divulgado que se tratava de um "quadro pulmonar por infecção de covid". Uma possibilidade é que ele tenha tido a doença sem apresentar sintomas e que a pneumonia tenha surgido só depois, ainda uma consequência de ele ter sido infectado pelo vírus.

Da mesma forma que o quadro de saúde de Bruno piorou muito rápido no fim de semana, também melhorou muito rápido nas últimas horas. Hoje (25) ele já está no quarto, aguardando a alta hospitalar.

Bruno Schmidt é sobrinho do ex-jogador de basquete Oscar e do apresentador do Fantástico Tadeu Schmidt. O jogador de 34 anos foi campeão mundial em 2015 e, depois, campeão olímpico em 2016, com Alison. Ele está classificado para os Jogos Olímpicos de Tóquio, onde atuará ao lado de Evandro.