PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Pré-Olímpico de Handebol muda de país a duas semanas da estreia

Haniel marca para o Brasil contra a Espanha no Mundial de Handebol - Divulgação/IHF
Haniel marca para o Brasil contra a Espanha no Mundial de Handebol Imagem: Divulgação/IHF
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

24/02/2021 12h54

A Federação Internacional de Handebol (IHF) informou hoje (24) que o Pré-Olímpico que será disputado pela seleção brasileira masculina daqui a duas semanas não será mais disputado na Noruega e, sim, em Montenegro, uma sede neutra. A troca foi necessária depois de a Noruega abrir mão do torneio, no qual tem amplo favoritismo para conseguir uma das vagas para os Jogos Olímpicos de Tóquio.

Seis das 12 vagas olímpicas no handebol masculino já estão atribuídas, faltando as outras seis, que serão disputadas por 12 equipes, espalhadas em três quadrangulares nos quais os dois primeiros colocados se classificam. O Brasil caiu no grupo mais fácil, com Noruega, Chile e Coreia do Sul.

Esse torneio deveria acontecer em Trondheim, na Noruega, ainda no ano passado, mas foi adiado por conta da pandemia. Na semana passada as confederações foram informadas pela IHF que, devido às restrições sanitárias impostas pelo governo norueguês, não seria possível disputar a competição lá.

O Chile chegou a demonstrar interesse em receber a competição, mas ela acabou marcada para acontecer em Podgorica, capital de Montenegro, local que na semana seguinte receberá um Pré-Olímpico Feminino. Assim, a IHF vai aproveitar a mesma estrutura.

A maioria dos jogadores brasileiros já atua na Europa e, com essa escolha, eles não precisarão fazer grandes deslocamentos. Ontem (23) o técnico Marcus Tatá anunciou os 20 convocados para o torneio, dos quais 18 jogadores de clubes europeus, a maioria deles da Espanha. Só dois atuam no Brasil, ambos no Taubaté, clube do próprio Tatá.

Na comparação com o time que foi muito mal no Mundial disputado em janeiro, uma das novidades é a convocação do goleiro Cesar Bombom, que não estava na lista inicial do Mundial e acabou chamado depois porque Ferrugem pegou covid. Agora ambos estão convocados e quem acabou de fora foi o experiente Maik. O pivô Tchê, o central Pedro Pacheco e o lateral-direito Arthur Pereira também ganharam uma chance. Destaque no Mundial mesmo sendo convocado de última hora, Guilherme Torriani segue no grupo.