PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

Campeão olímpico é indiciado por invasão ao Capitólio

Ketle Keller, ex-nadador campeão olímpico - Reprodução
Ketle Keller, ex-nadador campeão olímpico Imagem: Reprodução
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

13/01/2021 19h40

O campeão olímpico Klete Kelle foi formalmente acusado em um tribunal de Washington por invadir o Capitólio, prédio do Congresso dos Estados Unidos, na última quarta-feira (6). Dono de cinco medalhas olímpicas, sendo duas de ouro, ambas no revezamento 4x200m, Keller foi filmado pela reportagem do site Townhall e reconhecido pelo site especializado em natação Swim Swam. O FBI confirmou sua identidade.

De acordo com o NY Post, uma queixa criminal apresentada ao tribunal federal de Washington DC acusa o ex-nadador obstruir a aplicação da lei, intencionalmente entrar ou permanecer em um prédio ou terreno restrito sem autoridade legal e de entrada violenta e conduta desordeira. A imprensa americana não conseguiu precisar se ele já foi detido, nem conseguiu identificar um porta-voz para falar em nome do acusado.

Keller, companheiro de Michael Phelps nos treinos em Michigan e na seleção norte-americana, foi ao motim vestido com uma jaqueta da delegação olímpica dos Estados Unidos, o que expôs o comitê olímpico dos EUA, o movimento olímpico como um todo, e até a Nike, que tem sua logomarca no agasalho.

"Em casa, e em todo o mundo, os atletas da equipe dos EUA têm um padrão muito alto, pois representam nosso país dentro e fora do campo. O que aconteceu em Washington foi um caso em que esse padrão claramente não foi cumprido", tuitou Sarah Hirshland, CEO do comitê olímpico.

"Respeitamos os direitos de indivíduos e grupos privados de protestar pacificamente, mas de forma alguma toleramos as ações tomadas por aqueles no Capitólio na semana passada", comentou a USA Swimming, a poderosíssima federação de natação dos Estados Unidos.

Keller disputou três edições dos Jogos Olímpicos, em 2000 (Sydney), 2004 (Atenas) e 2008 (Pequim) e ganhou cinco medalhas. Ele foi ouro no com o revezamento 4x200m livre em 2004 e em 2008, prata nesta mesma prova em 2000, e ganhou dois bronzes nos 400m, em 2000 e 2004. Ele ganhou notoriedade mundial principalmente pela chegada emocionante do revezamento de 2004, quando bateu 13 centésimos de segundo à frente do astro Ian Thorpe. Keller ainda tem cinco medalhas em Mundiais.

De acordo com a Swim Swam, Keller costumava fazer postagens defendendo o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em suas redes sociais, que foram apagadas depois da invasão do Capitólio, que deixou cinco pessoas mortas. Os manifestantes tentavam impedir a certificação do resultado da eleição do ano passado, vencida pelo democrata Joe Biden. Trump contesta os resultados.

Klete Keller (primeiro à esquerda), com Michael Phelps, Ryan Lochte e Peter Vanderkaayno Mundial de natação de 2007, na Austrália  - Al Bello/Getty Images - Al Bello/Getty Images
Klete Keller (primeiro à esquerda), com Michael Phelps, Ryan Lochte e Peter Vanderkaayno Mundial de natação de 2007, na Austrália
Imagem: Al Bello/Getty Images

Depois de se afastar da natação, em 2008, Keller trabalhou como contratado independente para a Hoff & Leigh, uma agência imobiliária em Colorado Springs. A empresa disse, em nota, que o ex-nadador foi desligado ontem (12).