PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

Tiago Camilo assume Centro Olímpico a um mês do fim do mandato de Covas

Tiago Camilo deu adeus a Olimpíadas com derrota nas oitavas de final no Rio de Janeiro - Jonne Roriz/Exemplus/COB
Tiago Camilo deu adeus a Olimpíadas com derrota nas oitavas de final no Rio de Janeiro Imagem: Jonne Roriz/Exemplus/COB
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

26/11/2020 16h48

Faltando pouco mais de um mês para o fim do seu mandato, o prefeito Bruno Covas (PSDB) nomeou um dos mais importantes judocas do país para gerir o Centro Olímpico do Ibirapuera, onde estão concentradas as equipes de alto rendimento da prefeitura. Nomeado ontem (26), Tiago Camilo anda não assumiu o posto.

O diretor do Centro Olímpico é o responsável pelo programa de formação de atletas da maior cidade do país. O posto foi ocupado por muitos anos pela ex-jogadora de basquete Magic Paula e, depois, pelo hoje CEO do COB, Rogério Sampaio, campeão olímpico.

Nos últimos anos, porém, o posto foi loteado e ocupado por pessoas sem ligação estreita com o esporte. O mais recente diretor foi o jogador amador de handebol Reinaldo Barreiros, demitido depois que o Olhar Olímpico mostrou que ele havia sido denunciado por um suposto esquema de rachadinha na Assembleia Legislativa (ALESP).

Tiago Camilo é o atual presidente da Comissão de Atletas do COB (Comitê Olímpico do Brasil), mas optou por não concorrer na eleição realizada mês passado. Seu mandato termina em janeiro. Depois de se aposentar, ele criou a ONG Instituto Tiago Camilo.