PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

Protocolo das corridas de rua exige máscara durante provas em SP

Maratona de São Paulo - Divulgação/Yescom
Maratona de São Paulo Imagem: Divulgação/Yescom
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

24/08/2020 13h47

O protocolo para a volta das corridas de rua apresentado pela Federação Paulista de Atletismo (FPA) e pela Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte exige que os atletas inscritos permaneçam de máscara o tempo todo, o que inclui não apenas a chegada e saída do evento, mas também a prova em si. Seria obrigatório correr de máscara.

O documento da federação diz respeito às exigências para a concessão do "permit", que é o aval esportivo para uma corrida ser realizada. Ainda não existe aprovação estadual para a volta das corridas de rua, o que precisa ser dado pelo Centro de Contingência contra a Covid-19, do governo estadual. Depois, serão necessárias aprovações municipais.

O protocolo diz que "todos os competidores e demais presentes devem usar máscara durante todo o período do evento, mantendo distanciamento mínimo interpessoal obrigatório de dois metros, no período prévio à corrida, durante a competição, na dispersão pós evento, assim como na área de premiação".

Existem exceções. Seriam liberados de usar máscara entre a largada e a chegada os competidores que apresentarem à organização testes de RT-PCR e IgM negativos para Covid-19, aqueles que tiverem RT-PCR positivo, mas com histórico de ter contraído a Covid-19 há mais de 14 dias, e quem entregue atestado médico afirmando que já teve a doença.

Essas exceções, porém, precisariam ser aprovadas pelo governo do Estado. Isso porque decreto estadual exige o uso de máscara em vias públicas, onde são realizadas as corridas de rua, sem qualquer exceção. Tal decreto precisaria ser flexibilizado.

A Federação já trabalha com os primeiros pedidos de permit, para provas que teriam largadas em ondas, com os competidores largando separadamente ao longo do dia. A Fundação Casper Líbero, porém, ainda não definiu se vai tentar realizar a Corrida de São Silvestre, no dia 31 de dezembro.

No mundo todo, as principais provas de rua estão sendo canceladas. Das grandes maratonas da Europa, só a de Londres está confirmada, mas em um circuito pequeno, dentro de um parque, e apenas com corredores de elite - é o mesmo nome, mas uma prova muito diferente da tradicional Maratona de Londres. Na semana passada, a Maratona de Amsterdã foi cancelada.