PUBLICIDADE
Topo

CBV cancela temporada do vôlei de praia sem duas etapas

Ana Patrícia e Rebecca - Divulgação/CBV
Ana Patrícia e Rebecca Imagem: Divulgação/CBV
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

13/05/2020 17h11

A mineira Ana Patrícia, de apenas 22 anos, e a cearense Rebecca, de 27, são as novas campeãs brasileiras de vôlei de praia. A dupla, classificada para os Jogos Olímpicos de Tóquio, foi declarada vencedora do Circuito Brasileiro após a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) decidir encerrar a competição em virtude da pandemia do novo coronavírus.

Diferente do calendário do Circuito Mundial, anual, no Brasil a temporada do vôlei de praia começa em agosto/setembro de um ano e termina em maio/junho do ano seguinte. No feminino, Ana Patrícia/Rebeca estava com boa vantagem sobre Tainá/Victoria, tendo vencido três das seis etapas realizadas, e só precisava entrar em quadra para mais uma etapa para ficar com o título geral. Ágatha/Duda, outra dupla que vai à Olimpíada, só participou de três etapas, vencendo duas.

Acabaram canceladas duas etapas, no Rio de Janeiro e em Itapema (SC), que serão realizadas futuramente, valendo para a temporada 2020/2021, que terá nove eventos de nível Open e o SuperPraia, espécie de ATP Finals do vôlei de praia brasileiro. Na temporada recém-encerrada, cada etapa distribuiu R$ 512 mil em prêmios, sendo R$ 46 mil para cada dupla campeã.

No masculino, o capixaba André Stein, de 25 anos, e o paraibano George, de 23, já haviam sido declarados campeões, uma vez que não poderiam ser alcançados matematicamente na liderança do ranking, mesmo tendo vencido apenas duas de seis etapas. Vitor Felipe e o veterano Ricardo ficaram em segundo no geral.

As duplas brasileiras em Tóquio serão Bruno Schmidt/Evandro, que disputaram três etapas e venceram duas, e Alison/Álvaro Filho, que estiveram em quatro etapas e ganharam um ouro e uma prata. As definições dos classificados para Tóquio, porém, ocorreram pelo ranking mundial.