PUBLICIDADE
Topo

Clubes pedem a Doria para reabrirem no dia 11 de maio

Sede social do Palmeiras - Divulgação/Palmeiras
Sede social do Palmeiras Imagem: Divulgação/Palmeiras
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

22/04/2020 15h02

Se as competições esportivas ainda parecem longe de voltar às atividades, os clubes de São Paulo querem ao menos serem autorizados a reabrirem as portas aos seus associados. Em ofício enviado hoje (22) ao governador João Doria (PSDB), os sindicatos que representam os clubes solicitaram autorização para voltarem a funcionar a partir do dia 11 de maio.

Em ofício subscrito pelo Sindicato dos Clubes do Estado de São Paulo (Sindi Clube) e pela Associação de Clubes Esportivos e Sócios-Culturais de São Paulo (Acesc), os clubes pedem que Doria "considere a possibilidade de flexibilização das atividades do setor clubístico", que diz ter 2,5 milhões de associados e gerar 40 mil empregos diretos. São Paulo FC, Palmeiras e Corinthians estão entre os membros do Sindi Clube.

"O Sindi Clube e a ACESC se colocam à disposição para dialogar com as agremiações no sentido de auxiliar no processo gradual de abertura de suas instalações, com as devidas medidas de contingência recomendadas pelas autoridades da saúde", diz a nota dos clubes, que apontam que a reabertura gradual "possibilitará ao setor recompor paulatinamente suas finanças e reativar suas forças de trabalho".

Também nesta quarta, Doria prometeu um plano de retomada da atividade econômica, que começa a valer exatamente em 11 de maio, mas cujos detalhes só serão dados mais adiante. Em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes o goverro anunciou que o término da quarentena deverá respeitar um cronograma por fases e será diferente para cada região, dependendo da disponibilidade de leitos nos hospitais.