PUBLICIDADE
Topo

Mesa-tenista brasileira de 48 anos morre com suspeita do coronavírus

Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

30/03/2020 11h12

A mesa-tenista paraolímpica Eliane Corrêa morreu no sábado (28), ao que tudo indica vítima do Covid-19. De acordo com a Confederação Brasileira de Tênis de Mesa, ela se sentiu mal, com falta de ar, foi levada ao hospital por familiares, mas não resistiu. A jogadora havia sido diagnosticada com o novo coronavírus e estava internada em um andar do hospital destinado apenas ao tratamento desta doença.

Mas só daqui a 10 dias deve sair o resultado do exame para indicar se ela estava de fato infectada. Como medida contra a propagação da doença, ela foi enterrada sem velório. Em seu atestado de óbito consta "suspeita" de coronavírus. Ela estava no grupo de risco por problemas respiratórios preexistentes, mas não pela idade. Tinha 48 anos.

Eliane era cadeirante e jogava a classe 4, para atletas com as mesmas dificuldades de locomoção que ela, defendendo a equipe da AACD de São Paulo. "Ela era professora e uma apaixonada por samba, desfilando na ala inclusiva da Rosas de Ouro. Em razão do diagnóstico da doença", informou a CBTM.

"Eliane Corrêa virou mais uma estrelinha. Hoje o céu está em festa por receber essa pessoa, tão batalhadora, uma pessoa que mesmo com as dificuldades sempre ia atrás dos seus sonhos e dos seus objetivos. Você era um espelho para mim, para nunca desistir do que queria, pois tudo era possível", postou nas redes sociais a atleta Joyce Oliveira, da seleção brasileira.

"Lamentamos profundamente a morte, no sábado, 28, da atleta do tênis de mesa paraolímpico, Eliane Correa, vítima do Covid-19, este inimigo invisível que ora apavora a nós todos. À família e aos amigos da Eliane, o CPB presta as mais pesarosas condolências", comentou, no Twittter, o presidente do comitê, Mizael Conrado.

Olhar Olímpico