PUBLICIDADE
Topo

CBAt muda de ideia pela 2ª vez em 48h e decide fechar CT do atletismo

Atletas do heptatlo no Troféu Brasil de Atletismo - Wagner Carmo/CBAt
Atletas do heptatlo no Troféu Brasil de Atletismo Imagem: Wagner Carmo/CBAt
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

20/03/2020 19h28

Na quarta (18) a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) decidiu fechar o alojamento do seu centro de treinamento em Bragança Paulista (SP), mas manter a pista aberta para uma lista grande de atletas aptos. Pressionada, mudou de ideia na quinta (19), quando anunciou a abertura do alojamento para quem quisesse atravessar o país e se instalar lá. Novamente pressionada, mudou radicalmente de ideia nesta sexta (20), agora aparentemente de forma definitiva. Vai fechar tudo por tempo indeterminado.

A pressão começou na segunda-feira, quando os principais locais de treinamentos começaram a fechar, em um efeito dominó: Estádio do Ibirapuera, Núcleo de Alto Rendimento (NAR), Cepeusp, Esporte Clube Pinheiros, Centro Paraolímpico, Sogipa... De uma hora para outra, os atletas ficaram sem ter onde treinar.

Uma das últimas confederações a determinar paralisação das competições, tendo esperado a realização de um torneio em Bragança Paulista no sábado, a CBAt decidiu na quarta ampliar a utilização do seu centro de treinamento, que ela chama de CNDA - Centro Nacional de Desenvolvimento do Atletismo. Poderiam treinar lá não só atletas com índice olímpico, mas até juvenis classificados para o Mundial Sub-20 e atletas que ficaram nas duas primeiras posições do ranking nacional de suas provas no ano passado.

Mas os atletas não poderiam ficar no alojamento existente no CNDA. Eles reclamaram e ganharam o apoio da confederação, que editou nova nota oficial na quinta abrindo o alojamento para atletas do país todo. Eles não poderiam receber visitas, mas não haveria restrições para que saíssem e voltassem do alojamento, encontrando pessoas de fora.

Apesar da possibilidade, diversos técnicos importantes do atletismo brasileiro pediram que seus atletas não fossem até Bragança Paulista, colocando a saúde deles e da sociedade em primeiro lugar. Novamente a CBAt se viu pressionada e mudou de ideia. Nesta sexta, anunciou o fechamento do CNDA.

"Após nova análise da expansão da Covid-19 em toda a região onde se insere a cidade de Bragança Paulista, e em especial o anúncio do Governador do Estado de São Paulo decretando no dia de hoje Estado de Calamidade Pública no estado, onde está instalada a nossa sede, a CBAt decidiu fechar o Centro Nacional de Desenvolvimento do Atletismo -a partir do dia 23 de março de 2020, por prazo indeterminado, para qualquer tipo de atividade", informou a CBAt. O Estado de Calamidade Pública não altera o funcionamento de instalações como o CNDA, nem restringe o trânsito de pessoas. Tem função apenas burocrática.

Também nesta sexta a CBAt anunciou a suspensão de todo o calendário até 31 de maio. Isso inclui o GP Brasil, principal Challenger da América do Sul, e o Troféu Brasil, campeonato brasileiro que serviria como seletiva para a convocação do Brasil para algumas provas olímpicas, como os revezamentos.

Atletas da canoagem slalom voltam para casa

Uma das únicas modalidades que mantinham atletas treinando normalmente, a canoagem slalom dispensou a seleção permanente que continuava treinando no canal olímpico do Rio de Janeiro, em Deodoro. Ana Sátila e Pepê já estão confirmados em Tóquio, faltando a busca de vaga olímpica no C1. A seleção de canoagem velocidade, de Isaquias Queiroz, porém, continua concentrada em Lagoa Santa, em Minas Gerais. Lá, todos os atletas moram em um mesmo condomínio de três casas. Da mesma forma, só eles utilizam o centro de treinamento e a academia.

Olhar Olímpico