PUBLICIDADE
Topo

Venezuelana faz história no salto triplo em dia de recordes mundiais

Yulimar Rojas, estrela do atletismo venezuelano, é campeã mundial no salto triplo - Patrick Smith/REMOTE/Getty Images
Yulimar Rojas, estrela do atletismo venezuelano, é campeã mundial no salto triplo Imagem: Patrick Smith/REMOTE/Getty Images
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

21/02/2020 17h24

O dia 21 de fevereiro de 2019 entrou para a história do atletismo mundial. Primeiro, nos Emirados Árabes Unidos, a etíope Ababel Yeshaneh venceu a Meia-Maratona de Ras al-Khaimah e estabeleceu novo recorde mundial da prova. Depois, na Espanha, em Madri, a cubana Yulimar Rojas estabeleceu novo recorde mundial no salto triplo.

Com isso, já são quatro recordes mundiais estabelecidos neste comecinho de temporada olímpica. Os dois primeiros foram de Mondo Duplantis no salto com vara. Primeiro ele saltou 6,17m na Polônia, no sábado retrasado. Depois, no sábado passado, o sueco de 20 anos passou o sarrafo a 6,18m em um torneio na Escócia. Pela facilidade com que tem saltado, não será surpresa se outros recordes forem sendo batidos ao longo do ano.

Já esta sexta-feira começou com promessa de recorde mundial na meia maratona de Ras al-Khaimah, que vale pelo circuito ouro de corridas de rua da World Athletics. Ababel Yeshaneh e a queniana Brigid Kosgei (recordista mundial da maratona e vencedora da última São Silvestre) correram em ritmo alucinante e a vitória ficou com Yeshaneh, em 1h04min31s.

Ela baixou em 20 segundos o recorde anterior, que pertencia desde 2017 a Joyciline Jepkosgei. Kosgei também correu abaixo do antigo recorde, em 1h04min49s. Como comparação, o tempo de Yeshaneh é só um segundo pior do que o melhor resultado brasileiro de 2019 no masculino. O recorde é o sexto batido com os novos tênis tecnológicos da Nike.

Depois, à noite pelo horário europeu, Yulimar Rojas saltou 15,43m para vencer o Meeting Villa de Madrid, na capital espanhola, e estabelecer o novo recorde mundial indoor do salto triplo, melhorando uma marca que já durava 16 anos. No total, é o segundo melhor salto da história, só abaixo do recorde mundial outdoor. Durante a prova, ela também fez um salto de 15,29m, que até então era recorde sul-americano e segunda melhor marca indoor da história.

Olhar Olímpico