PUBLICIDADE
Topo

Milton Neves

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Milton: O Fla sempre treme diante do Santos! Culpa do vento?

Marinho e Gabigol em partida entre Flamengo e Santos - Thiago Ribeiro/AGIF
Marinho e Gabigol em partida entre Flamengo e Santos Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF
Conteúdo exclusivo para assinantes
Milton Neves

Milton Neves é jornalista profissional diplomado, publicitário, empresário, apresentador esportivo de rádio e TV, pioneiro em site esportivo no Brasil, 1º âncora esportivo de mídia eletrônica do país, palestrante gratuito de Faculdades e Universidades, escrivão de polícia aposentado em classe especial, pecuarista, cafeicultor e é empresário também no ramo imobiliário.

06/12/2021 21h58

Flamengo 0 x 1 Santos

No fim de 2019, o maravilhoso, magnânimo e incrível Flamengo de Jorge Jesus enfrentou o Santos de Sampaoli e... levou 4 a 0 na Vila Belmiro, para espanto de todo o Brasil.

Mas esse resultado não surpreendeu quem conhece a história do futebol.

Acontece que o Fla sempre foi um dos maiores fregueses do Peixe.

Sempre que encontra o Alvinegro praiano o Rubro-Negro "pipoca".

E hoje não seria diferente, não é mesmo?

Em pleno Maracanã, o time comandado por Fábio Carille deu uma sova na "seleção da Gávea".

E isso, é claro, que o apito jogou contra, marcando pênalti inexistente, que foi desperdiçado por Gabigol, e não marcando penalidade máxima em Marinho, já no fim da partida.

O gol de Pedro, anulado pelo VAR, só não foi validado porque estava muito na cara o impedimento de Matheuzinho.

E como joga o goleiro João Paulo, do Peixe, hein?

A diretoria alvinegra precisa fazer de tudo para segurar o arqueiro lá na Vila Belmiro.

E foi bacana ver no fim da partida a torcida flamenguista gritar "time sem vergonha".

Pelo visto, o Peixão colocou o último prego na fase vencedora do Flamengo.

O próximo título rubro-negro, pelo visto, demorará anos ou décadas.

Opine!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL