PUBLICIDADE
Topo

Milton Neves

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Milton: O Fla precisa virar a página e esquecer o ingrato Jorge Jesus

Jorge Jesus comanda o Benfica durante a partida contra o Barcelona na Liga dos Campeões - REUTERS
Jorge Jesus comanda o Benfica durante a partida contra o Barcelona na Liga dos Campeões Imagem: REUTERS
Conteúdo exclusivo para assinantes
Milton Neves

Milton Neves é jornalista profissional diplomado, publicitário, empresário, apresentador esportivo de rádio e TV, pioneiro em site esportivo no Brasil, 1º âncora esportivo de mídia eletrônica do país, palestrante gratuito de Faculdades e Universidades, escrivão de polícia aposentado em classe especial, pecuarista, cafeicultor e é empresário também no ramo imobiliário.

06/12/2021 10h19

É chover no molhado falar sobre o segundo semestre do Flamengo de 2019.

Jorge Jesus encaixou a mão na seleção rubro-negra, que passou a voar no Campeonato Brasileiro e na Libertadores, conquistando as duas taças.

Por isso, a impressão que se tem aqui no Brasil, principalmente entre os flamenguistas, é de que Jesus é espécie de Rinus Michels ou Pep Guardiola.

Mas, convenhamos, o técnico português passa muito longe de ser um gênio dentre os nossos "professores" do futebol.

Vale lembrar que, antes de fechar com o Flamengo, JJ, sem mercado na Europa, se ofereceu ao Vasco da Gama e ao Atlético-MG aqui no Brasil.

Como não deu certo com nenhuma das duas equipes, acabou no Flamengo e o resto é história.

Mas, no fim das contas, ele era apenas o cara certo, no lugar certo e na hora certa.

E que deu um pé na bunda do Rubro-Negro na primeira oportunidade que surgiu!

Por isso acho extrema burrada a diretoria flamenguista seguir insistindo em tentar trazer Jesus de volta.

Terá que pagar a ele pelo que o time apresentou em 2019 sem a mínima garantia de que o resultado virá.

Bom recordar também que, quando foi embora para o Benfica, o Flamengo já vinha mal das pernas.

O técnico deixou o Brasil no momento certo, pois não aguentaria a pressão.

Por isso, Fla, bola para frente.

Tanto técnico bom por aí no mundo.

Use a cabeça e pare de insistir em um cara que apunhalou o Rubro-Negro na primeira proposta que recebeu da Europa.

Opine!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL