PUBLICIDADE
Topo

Milton Neves

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Milton: O Palmeiras é tão sortudo que o Fla de Renato começou a despencar

Conteúdo exclusivo para assinantes
Milton Neves

Milton Neves é jornalista profissional diplomado, publicitário, empresário, apresentador esportivo de rádio e TV, pioneiro em site esportivo no Brasil, 1º âncora esportivo de mídia eletrônica do país, palestrante gratuito de Faculdades e Universidades, escrivão de polícia aposentado em classe especial, pecuarista, cafeicultor e é empresário também no ramo imobiliário.

21/10/2021 09h35

"Sem sorte não se come nem um chicabom. Você pode engasgar-se com o palito ou ser atropelado pela carrocinha".

A frase acima é atribuída ao genial cronista Nelson Rodrigues.

E quem sou eu para discordar?

Ah, e acrescento outra boa sobre o assunto: "A sorte é o encontro da capacidade com a oportunidade".

Mas, olha, está para nascer um exemplo de sorte maior do que desse atual Palmeiras, viu?

Primeiro, é claro, você vai se lembrar da temporada passada, das "larguras" alviverdes na Libertadores, tanto no duelo contra o River, nas semifinais, quanto contra o Santos, na final.

Bem, e parece que nesta temporada a boa ventura decidiu não abandonar a equipe de Abel Ferreira.

Na semifinal da Libertadores, nem preciso comentar sobre a "largura" do time paulista contra o avassalador Galo.

E agora, para a final, o Flamengo, que andava atropelando todo mundo sob o comando de Renato Gaúcho, começou a descarrilar.

O Rubro-Negro já não joga bem, não goleia mais ninguém e tem apresentado um repertório muito pobre nos últimos jogos.

Tanto que, segundo o Data-Neves, as chances de título do Palmeiras na Libertadores triplicaram.

Eram de 10%, mas agora subiram para 30%!

Ah, é claro, isso se o VAR não der a já tradicional força para o clube da Gávea, como vergonhosamente aconteceu na noite de ontem, na Arena da Baixada.

Sim, porque quando o apito decide ajudar, ninguém segura o Mengão.

Opine!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL