PUBLICIDADE
Topo

Milton Neves

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Milton: Pedir "fora, Sylvinho" é o fim da picada! Deixem o homem trabalhar!

Sylvinho, técnico do Corinthians, durante o clássico contra o São Paulo - Marcello Zambrana/AGIF
Sylvinho, técnico do Corinthians, durante o clássico contra o São Paulo Imagem: Marcello Zambrana/AGIF
Conteúdo exclusivo para assinantes
Milton Neves

Milton Neves é jornalista profissional diplomado, publicitário, empresário, apresentador esportivo de rádio e TV, pioneiro em site esportivo no Brasil, 1º âncora esportivo de mídia eletrônica do país, palestrante gratuito de Faculdades e Universidades, escrivão de polícia aposentado em classe especial, pecuarista, cafeicultor e é empresário também no ramo imobiliário.

19/10/2021 12h27

É claro que a terça-feira está sendo complicada para o torcedor corintiano.

Receber piadas de amigos nos grupos de "zap" e ter que encarar aquele vizinho mala que torce para o rival após uma derrota como a de ontem nunca é fácil.

Mas, fazer o quê?

O Coringão, que vinha crescendo no campeonato, enfrentou fora de casa um rival que precisava da vitória e que, por isso, jogou com muito mais vontade.

O revés passou longe de ser um absurdo.

Algo normal, já que alguém tem que perder.

É a vida...

Agora, muito me surpreender o fato de a Gaviões da Fiel, principal organizado do Timão, publicar na manhã desta terça-feira uma nota cobrando a demissão do técnico Sylvinho Mendes.

Ora, minha gente, que culpa tem o bom e promissor treinador?

Tem alcançado bons resultados com o Corinthians, levou a equipe, que era apontada como uma das favoritas ao Z-4, para perto de G-4 e está conseguindo encaixar as ótimas peças que recebeu praticamente na metade do Brasileirão.

Muita calma nessa hora.

E aí, se a diretoria acatar esse pedido, vão trazer quem para o lugar de Sylvinho?

E por quanto?

Entendo que o torcedor alvinegro tenha ficado muito mal acostumado nos últimos anos.

Mas, se o Timão começar a agir impulsivamente, como a organizada cobra, a equipe do Parque São Jorge não voltará ao caminho das taças tão cedo.

Concorda?

Opine!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL