PUBLICIDADE
Topo

Milton Neves

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Milton: se o Brasil tivesse vencido em 50, Zizinho só estaria atrás de Pelé

Zizinho, ex-jogador do São Paulo - Reprodução
Zizinho, ex-jogador do São Paulo Imagem: Reprodução
Milton Neves

Milton Neves é jornalista profissional diplomado, publicitário, empresário, apresentador esportivo de rádio e TV, pioneiro em site esportivo no Brasil, 1º âncora esportivo de mídia eletrônica do país, palestrante gratuito de Faculdades e Universidades, escrivão de polícia aposentado em classe especial, pecuarista, cafeicultor e é empresário também no ramo imobiliário.

14/09/2021 10h00

Pergunte a algum moleque da nova geração se ele conhece ou se já ouviu falar sobre Zizinho, que, se vivo fosse, completaria 100 anos nesta terça-feira (14).

É muito triste dizer isso, mas eu tenho certeza que, a cada 100 garotos fãs de futebol, que tenham entre seus 15 e 30 anos, apenas uns cinco dirão que já escutaram histórias sobre o Mestre Ziza.

E provavelmente apenas um ou dois vão afirmar que conhecem bem a trajetória de um dos maiores jogadores do futebol mundial em todos os tempos.

Eu não chego a concordar com o respeitadíssimo companheiro Jânio de Freitas, que diz que Zizinho jogou mais até mesmo que Pelé.

Não preciso reafirmar aqui que, para mim, o Rei do Futebol jamais será alcançado.

Mas Zizinho, ídolo de infância de Pelé, certamente está no top-10 de nosso país.

E, assim como Barbosa, Zizinho foi outro que acabou perdendo muito com a derrota do Brasil para o Uruguai na final da Copa de 1950.

Ele, que era o grande astro daquela seleção, teria sido, com a possível vitória, considerado o craque do torneio e herói de nosso primeiro Mundial.

Pena que Schiaffino e Ghiggia estragaram a festa no abarrotado Maracanã.

Bem, aí, sim, se o resultado da final de 1950 tivesse sido diferente, Zizinho seria hoje muito mais aclamado do que é pela crônica esportiva especializada.

Mas saibam que, na minha seção "Que Fim Levou?", do portal terceirotempo.com.br, nenhum jogador é esquecido.

Dos mais modestos a grandes craques, como o nosso maravilhoso Zizinho.

Por isso, abaixo, por meio de fotos de meu portal, te convido a conhecer um pouco mais sobre a maravilhosa carreira deste gênio do esporte bretão.

Da esquerda para a direita, Barbosa, Augusto, Danilo Alvim, Juvenal, Bauer, Ademir, Zizinho, Jair, Chico, Friaça e Bigode. Imagem: Placar

Em 1958, em pé: o terceiro é Bope, o quinto é Pacheco e o último, Bassi. Agachados: Amauri, o ante-penúltimo, Leônidas, seguido pelo mito Zizinho e o último é Gelson. Foto enviada por Carlos Prieto, o Gigi, do arquivo pessoal de Amauri.

Fernandinho escalou assim sua Seleção de todos os tempos. Goleiro: Júlio César; laterais: Leandro e Jaime de Almeida; zagueiros: Domingos da Guia e Hélcio; meias: Didi e Zico; atacantes: Zizinho, Jair Rosa Pinto, Ademir Menezes e Friedenreich; técnico: Flávio Costa. Imagem: Revista Placar

Da esquerda para a direita, Sabará, Didi, Zizinho, Walter Marciano e Escurinho. Foto enviada por José Alves

Em pé, da esquerda para a direita: Eli do Amparo (que aparece cortado na imagem), Augusto, Wilson Francisco Alves, Barbosa, Danilo Alvim e Noronha. Agachados: o histórico massagista Mário Américo, Tesourinha, Zizinho, Octávio Moraes, Jair Rosa Pinto e Simão. Foto: Divulgação

Da esquerda para a direita, em pé: o massagista Pastinha, Jota Alves, Peixinho, Bibi, Hilton Porco, Zózimo e Nilton dos Santos. Agachados: Calazans, Ubaldo Miranda, Zizinho, Décio Esteves e Nívio. Foto enviada por Tânia Novaretti, filha de Peixinho

Zizinho poderia ficar uns meses a mais no Tricolor recebendo salário, mas a distância da família e problemas físicos o fizeram pedir o cancelamento do contrato. É o oposto do "jogador chinelinho", não é mesmo?

Veja Zizinho em foto da revista Manchete Esportiva em 1958

Zizinho ganhou destaque em Manchete Esportiva ao dizer que pararia em breve com o futebol. A revista é de 29 de novembro de 1958. Ele encerrou a carreira logo depois.

Jogo entre São Paulo e Taquaritinga, na década de 50. Os dois times posaram juntos para esta bela foto. Em pé, da esquerda para a direita, o terceiro é Maurinho, o quinto é Lindóia, o sétimo é o grande goleiro Poy e o último do São Paulo é Vitor. O quarto agachado é Fernando Sátiro, seguido por Zizinho e Amauri Marreco. Foto: arquivo pessoal de Lindóia, enviada por seu genro, Marcos Luis Cirto

Em pé: Barbosa, Augusto, Danilo Alvim, Juvenal, Bauer e Bigode. Agachados: Friaça, Zizinho, Ademir, Jair, Chico e Mário Américo

Momentos antes da partida entre Bonsucesso e Bangu. A foto é do livro "Vai dar Zebra", de José Rezende Raymundo Quadros

Da esquerda para a direita: Juvenal, Zizinho (de bigode) e Bigode (sem bigode). A foto nos foi enviada pelo querido José Eustáquio Rodrigues Alves, de Patos de Minas-MG.

Em pé, da esquerda para a direita: Rubens, Zózimo, Nilton Santos, Castilho, Pinheiro e Bauer. Agachados: Sabará, Zizinho, Índio, Didi e Pinga. O "FMF" que aparece nas camisas significa "Federação Metropolitana de Futebol", que antecedeu a Federação Carioca. A foto nos foi enviada pelo querido José Eustáquio Rodrigues Alves, de Patos de Minas-MG.

No ano de 1.959, o notável Thomaz Soares da Silva, o mestre da bola Zizinho, envergando a camisa do São Bento (Marília), jogou em Garça, no antigo Campo de Vila Wiiliams. Posando com Tico, centroavante do Garça Esporte Clube". Foto enviada por Wanderley "Tico" Cassolla.

Jornal anunciando a chegada de "Mestre Ziza" ao São Paulo. O meia, vindo do Bangu, mesmo aos 37 anos, foi peça importantíssima na conquista do Campeonato Paulista de 1957. Reprodução enviada por Mário Lopomo

Disitintivo antigo do Bangu. No meio da camisa, um losango com a inscrição "BANGU". Em pé, da esquerda para a direita: Joel, Fernando, Jota Alves, Gavilan, Zózimo e Édson. Agachados: Xavier, jogador não identificado, Zizinho, Décio Esteves e Nívio. Foto enviada por José Eustáquio Rodrigues Alves

O Bangu, pronto para um jogo em 1950: Em pé, da esquerda para a direita: Mirim, Pinguela, Rafanelli, Luiz Borracha, Sula e Gualter. Agachados: Djalma, Zizinho, Joel, Simões e Moacir Bueno. Foto enviada por José Eustáquio Rodriugues Alves

Disputando o Rio-São Paulo de 1951. Em pé, da esquerda para a direita: Djalma, Mirim, Pinguela, Rafanelli, Jorge e Mendonça. Agachados: Zizinho, Menezes, Joel, Moacir Bueno e Teixeirinha. Foto enviada por José Eustáquio Rodrigues Alves

Veja este belo time do Bangu. Em pé, da esquerda para a direita: Rui (que jogou no São Paulo). Mirim, Djalma Mendonça, Osvaldo Topete e Rafanelli. Agachados: Menezes, Zizinho, Joel, Moacir Bueno e Nívio. Foto enviada por José Eustáquio Rodriugues Alves

Os dois primeiros em pé são Joel e Fernando. O quinto é Zózimo. O terceiro agachado é Zizinho e em seguida está Décio Esteves.

Amistoso contra os tchecos, no Pacaembu, em 08 de agosto de 1956, com vitória brasileira por 4 a 1. Zizinho e Pepe marcaram dois gols cada. Masopust descontou para a Tchecoslováquia. Esta imagem é um registro raro, com Luizinho na Seleção Brasileira, onde atuou em apenas 11 oportunidades. Em pé, da esquerda para a direita: Djalma Santos, Formiga, Edson, Nilton Santos, Zózimo e Gylmar. Agachados: Mário Américo, Canário, Luizinho (sentado na bola, sua marca registrada), Gino Orlando, Zizinho e Pepe

Em 1956, no Maracanã, o Brasil venceu o Uruguai por 2 a 0, com gols de Zizinho e Canário. Em pé, da esquerda para a direita: Djalma Santos, Veludo, Édson, Zózimo, Formiga e Hélio. Agachados: Canário, Ilton Porco, Leônidas da Selva, Zizinho e Ferreira. Reprodução de poster com patrocíniio da Caninha Tatuzinho

Da esquerda para a direita, o terceiro (entre um auxiliar e um jogador do Flamengo) é Zizinho. O quinto é Caetano Bovino, seguido por Esquerdinha, Dequinha e Índio. Foto enviada por Ricardo Bovino Stecconi Silva

Da esquerda para a direita: Zizinho, Pipi, Tim, Russo e Amorim

Em pé: jogador não-identificado, Marambaia, Lóli, Túlio, Laerte e Danilo Alvim. Agachados: Cláudio, Paulinho, Reinaldo, Zizinho e Beto (o "Baltazar Caipira", que mora em Tietê-SP).

Didi, Zizinho e a bola de capotão. Apesar de ser pesada, os dois craques sabiam tratá-la como poucos

Flamengo, 1942. Em pé: dois jogadores não identificados, Yustrich, Domingos da Guia, Artigas e Newton. Agachados: Valido, Zizinho, Pirilo, Nadinho e Vevé.

No dia 3 de outubro de 1943, o Flamengo bateu o Vasco por 6 a 2, em General Severiano, e conquistou um de seus bicampeonatos cariocas. Da esquerda para a direita: Jurandir, Domingos da Guia, Perácio, Newton, Jaime, Modesto Bria, Silvio Pirilo, Zizinho, Biguá, Vevé e Jacy. Foto enviada por Marcelo de Paula Dieguez

No dia 3 de outubro de 1943, o Flamengo bateu o Vasco por 6 a 2, em General Severiano, e conquistou um de seus bicampeonatos cariocas. Da esquerda para a direita: Jurandir, Domingos da Guia, Perácio, Newton, Jaime, Modesto Bria, Silvio Pirilo, Zizinho, Biguá, Vevé e Jacy. Foto enviada por Marcelo de Paula Dieguez

Da esquerda para a direita: Jurandir, Newton, Quirino, Valido, Jaime, Modesto Bria, Silvio Pirilo, Zizinho, Tião, Biguá e Vevé

Em pé: Biguá, Domingos da Guia, Jurandir, Newton, Quirino e Jaime. Agachados: Zizinho, Nilo, Silvio Pirilo, Perácio e Vevé

Foto do time uruguaio campeão do Mundo em 1950, da direita para à esquerda: Máspoli, Mathias Gonzalez, Tejera, Juan Lopez, (técnico) Gambetta e entre um dirigente e o massagista, Obdúlio Varella. Agachados da esquerda para à direita:(massagista) Rodriguez Andrade, Gighia, Perez, Miguez, Schiaffino e o joelho de Móran

O gol que abalou as carreiras de Bigode e Barbosa. Ghiggia anotou o tento para os uruguaios

Veja a imagem e Schiaffino empatando o confronto para o Uruguai

O gol brasileiro na final da Copa do Mundo foi anotado por Friaça

Em pé: Barbosa, Augusto, Danilo, Juvenal, Bauer e Bigode- agachados: Mário Américo, massagista, Friaça, Zizinho, Ademir, Jair, Chico e Jonhson - massagista - técnico FLAVIO COSTA, este foi time que perdeu para Uruguai por 2 a 1, no dia 16 de julho de 1950

Jonhson e Mario Américo,os massagistas, Barbosa, Augusto, Danilo Alvim, Juvenal, Bauer, Ademir Menezes, Zizinho, Jair Rosa Pinto, Chico, Friaça e Bigode - esta equipe iniciou a participação do Brasil na Copa do Mundo de 1950

Em pé vemos De Sordi, Poy, Dino Sani, Riberto, Vitor e Mauro; agachados estão Maurinho, Lanzoninho, Gino, Zizinho e Canhoteiro

Este time do Bangu foi vice-campeão carioca em 1951. Da esquerda para a direita vemos Osvaldo, Rafanelli, Mirim, Vermelho, Ruy, Alaine, Mendonça, Zizinho, Bueiro, Djalma e Nívio

Décio Esteves, Nadinho (ex-Bahia), Darci Faria, Bibi, Zózimo e Nilton dos Santos em pé e Calazans, Ilton, Zizinho, Maneca (ex-Vasco) e Nívio agachados

Em pé estão Mirim, Pinguela, Djalma, Mendonça, Osvaldo Topete e Rafaneli; agachados vemos Menezes, Zizinho, Joel, Moacir Bueno e Nívio

Esta é a Seleção Brasileira com o uniforme branco, no sul-americano de 1946:Em pé: Norival, Ary, Domingos da Guia, Ivan, Ruy Campos, Jayme de Almeida e Hermógens (roupeiro).Agachados: Lima, Zizinho, Heleno de Freitas, Jair Rosa Pinto e Ademir Menezes.

Em pé da direita para a esquerda: Djalma Santos, Pompéia, Edson, Formiga, Zózimo e Hélio. Agachados: Canário, Romeiro, Leônidas, Zizinho e Ferreira.Foto crédito: "Romeiro, o sputinik brasileiro", livro de Antônio Carlos Meninéa

Zizinho aos 34 anos em foto da revista "O Cruzeiro", de 1955. Na publicação, é citado como um jogador que sozinho vale por um time. Quem ousaria questionar?

Da esquerda para a direita, em pé: Hélio (ex-São Cristóvão, que depois iria para a Portuguesa Santista), Dario (depois iria para o Juventus), Coronel, Mirim, Orlando Peçanha (você já tinha visto o zagueiro Orlando Peçanha tão novo?) e Beto (ex-Flamengo, que depois seria Campeão Carioca de 1957 pelo Botafogo e Campeão da Taça Brasil de 1959 pelo Bahia). Agachados: Pedro Bala, Zizinho, Ademir, Pinga e Silvio Parodi (craque paraguaio)

Walter Lacerda e o gênio Zizinho, no dia 19 de março de 1950.

O grande Zizinho em ação pelo São Paulo, pelo qual marcou 27 gols em 66 jogos.

O São Paulo conquistou o título paulista de 1957 e depois ficou 13 anos sem levantar nenhum troféu importante. Mas todas as forças da diretoria durante esse tempo de jejum foram destinadas para a construção do estádio do Morumbi. Esta foto é de 1958, e mostra os campeões de 57 no estádio em construção. Uma verdadeira relíquia. Em pé estão o Dr. Dalzel Freire Gaspar, Vicente Feola, Oto Vieira, Maurinho, De Sordi, Canhoteiro, massagistas Flavio e Guido, Dino, Vitor, Ferrari, Gino, Amauri, Silvio, Parracho, Valdir e Celso; Sentados, da esquerda para à direita, estão Mauro, um garoto filho de Homero Belintani, Poy, Zizinho, Roberto, Fernando Satiro, Diogenes, Riberto, Paulo e Sarará

Da esquerda para a direita, em pé: Joel, Peixinho ou Aparecido, Ladeira, Gavilán, Zózimo e Édson. Agachados: Dorival, Zizinho, Mário, Décio Esteves e Nívio

Vestiário do São Paulo Futebol Clube no final dos anos 1950. Poy, Zizinho e Bela Guttmann

Pela Seleção Carioca, em 1942, Zizinho, Leônidas e Jair Rosa Pinto. Foto: Reprodução

Pelo Bangu, clube pelo qual marcou 122 gols, marca que o coloca como quinto maior artilheiro do clube carioca. Foto: Divulgação

Dois momentos de Zizinho

Em pé Volante, Biguá, Domingos da Guia, Jurandyr, Newton e Jayme. Agachados Valido, Zizinho, Sylvio Pirillo, Perácio e Vevé.

Seleção Brasileira em 1945. Foto: Reprodução

Um dos últimos registros de Zizinho, no final dos anos 90

Mesmo depois de abandonar o futebol Zizinho ainda fazia sucesso em peladas de torcedores

Zizinho vestindo a camisa da seleção brasileira, o que ele fez em 54 oportunidades, marcando 28 gols

Bangu campeão do Torneio Início de 1955. Em pé: Joel, Hilton, Gavillán, Zózimo, Jorge I e Jorge II. Agachados: Robertinho, Luis Carlos, Décio Esteves, Zizinho e Nivio.

Seleção brasileira vice-campeã sul-americana em 1953. Em pé: Djalma Santos, Pinheiro, Brandãozinho, Castilho, Nilton Santos e Eli. Agachados: Julinho, Zizinho, Ipojucan, Pinga e Rodrigues.

Seleção brasileira que venceu o Paraguai, por 5 a 2, em 17 de junho de 1956. Em pé: Djalma Santos, Edson, Veludo, Formiga, Zózimo e Hélio. Agachados: Canário, Romeiro, Leonidas da Selva, Zizinho e Ferreira. A foto é da Revista Manchete Esportiva, 32, de 1956

Zizinho (esquerda) abraçando o ponta Ferreira, após vitória do Brasil sobre o Paraguai, por 2 a 0, em 12 de junho de 1956. A foto é da Revista Manchete Esportiva, 32

Zizinho como capitão do Brasil na goleada de 5 a 2 sobre o Paraguai, em 17 de junho de 1956. A foto é da Revista Manchete Esportiva, 32.

Zizinho com uma das taças que conquistou com a camisa da seleção brasileira. A foto é da Revista Manchete Esportiva, 69, de 1957

Seleção que venceu a Itália por 2 a 0, no Maracanã, no dia 01 de julho de 1956. Em pé: Djalma Santos, Zózimo, Nilton Santos, Edson, Gylmar e Formiga. Agachados: Mário Américo, Canário, Zizinho, Leonidas da Selva, Didi e Ferreira. A foto é da Revista Esporte Ilustrado, 953

Ataque do Brasil na goleada de 5 a 2 sobre o Paraguai, em 17 de junho de 1956, Canário, Zizinho, Leonidas da Selva, Romeiro e Ferreira. A foto é da Revista Esporte Ilustrado, 949

Leonidas da Selva, do América, e Zizinho, do Bangu, na capa da Revista Esporte Ilustrado, 959, de 1956

Zizinho como capitão da seleção brasileira em jogo amistoso contra a Argentina, em 8 de julho de 1956, que terminou 0 a 0. O capitão argentino é Dellacha e a foto da Revista Esporte Ilustrado,

Zizinho na capa da Revista Esporte Ilustrado, 951, de 1956

Matéria da Revista Esporte Ilustrado, 948, sobre a volta do veterano Zizinho para a seleção brasileira, em 1956

Zizinho e o jovem Pepe comemorando a goleada de 4 a 1 da seleção brasileira sobre e Tchecoslováquia, por 4 a 1, em agosto de 1956, em foto da Revista Esporte Ilustrado, 958

Zizinho (à direita) e Milton, na época do Bangu, em foto da Revista Esporte Ilustrado, 927, de 1956

Ataque do Brasil na estreia do Sul-Americano de 1953 com goleada de 8 a 1 sobre a Bolívia. Da equerda para a direita, Julinho, Zizinho, Ipojucan, Pinga e Rodrigues

Ataque do Bangu em 1953, Miguel, Décio Esteves, Zizinho, Menezes e Nivio, em foto da Revista Esporte Ilustrado, 811

Bangu de 1955. Em pé: Joel, Cabeção, Torbis, Zózimo, Gavilan e Jorge. Agachados: Mario, Lauro, Zizinho, Décio Esteves e Nivio. A foto é da Revista Esporte Ilustrado, 883, de 1955.

Zizinho, do Bangu, e Ranulfo, do América, na capa da Revista Esporte Ilustrado 711

Seleção brasileira goleou o Peru por 7 a 1, em São Januário, pelo Campeonato Sul-Americano, em 24 de abril de 1949. Em pé: Eli do Amparo, Wilson, Barbosa, Augusto, Danilo Alvim e Noronha. Agachados: Tesourinha, Zizinho, Octavio, Jair da Rosa Pinto e Simão.

Na Seleção, em 1953. Da esquerda para a direita Zizinho, Ipojucan e Pinga. Foto: Reprodução/Revista Esporte Ilustrado

O ataque do Brasil que superou o da Bolívia por 8 a 1. Da esquerda para a direita, Julinho Botelho, Zizinho, Ipojucan, Pinga e Rodrigues. Foto: Reprodução/Revista Esporte Ilustrado

Seleção Brasileira com a camisa branca, em 1953. Da esquerda para a direita, em pé: Djalma Santos, Barbosa, Haroldo, Danilo, Mauro Ramos de Oliveira e Bauer. Agachados: um massagista, Julinho Botelho, Zizinho, Ipojucan, Pinga e Panelinho. Foto: Reprodução/Revista Esporte Ilustrado

Raridade, imagem do São Paulo Futebol Clube da década de 1960. Em pé, da esquerda para a direita: De Sordi(2°), Ademar, Clélio, Riberto (6°) e Mauro Ramos. Agachados: Maurinho, Roberto Lataria, Gino Orlando, Zizinho e Canhoteiro. Foto: reprodução

Seleção Olímpica nos Jogos de Montreal, em 1976. Em pé, da esquerda para a direita: o técnico Zizinho, Rosemiro, Zé Carlos, Tecão, Edinho, Chico Fraga e Batista. Agachados: Marinho, Alberto Leguelé, Jarbas, Erivelto e Santos

Bangu de 1951 - da esquerda para a direita: Osvaldo, Rafanelo, Mirim, Vermelho, Ruy, Alaine, Mendonça, Zizinho, M. Bueiro, Djalma e Nivio. Foto: Jayme de Carvalho.

Trio de ataca do Flamengo: Zizinho, Silvio Pirillo e Jair Rosa Pinto. Foto enviada por José Eustáquio

Lance do segundo jogo da decisão do Campeonato Carioca de 1951, entre Fluminense e Bangu. Da esquerda para a direita, Nívio (Bangu), Castilho (goleiro do Flu), Zizinho (Bangu) e Lafaiete (Flu). Foto enviada por José Eustáquio

Ataque do Bangu nos anos 50. Da esquerda para a direita, Calazans, Lucas, Zizinho, Décio e Nívio. Foto enviada por José Eustáquio

Craques da Seleção Brasileira antes de mais uma viagem: de cima para baixo, Dr. Paes Barreto, Júlio Linhares, Adãosinho, Barbosa, Biguá, Zizinho, Pinga, Ademir, Tesourinha, Nena e o massagista Mário Américo.

Seleção Brasileira, em um jogo no Maracanã, contra a Itália, em 1956. Brasil 2 x 0 Itália. Da esquerda para a direita, em pé: Djalma Santos, Zózimo, Nilton Santos, Edson (ex-América e Palmeiras), Gilmar e Formiga. Agachados: Mário Américo, Canário, Zizinho, Leônidas da Selva, Didi e Ferreira. Foto enviada por José Eustáquio

Ataque da Seleção Brasileira, em 1956. Da esquerda para a direita, em pé: Canário, Zizinho, Romeiro e Ferreira. Agachado: Leônidas da Selva. Foto enviada por José Eustáquio

Bangu, em 1952 - Em pé, da esquerda: Zé Carlos, Arizona, Torbis, Valdir, Zozimo e Lito. Agachados: Djalma, Zizinho, Menezes e Nívio. Foto enviada pelo historiador José Eustáquio Rodrigues Alves Alves

Jaime de Almeida (Pai do atual técnico do Flamengo) - Zazur - Newton - Jurandir - Domingos da Guia e Biguá Agachados: Pedro Amorim - Zizinho - Silvio Pirilo - Lelé e Vevé. Crédito da foto: José Eustáquio

Seleção brasileira que venceu a Colômbia por 3 a 0 pelo Campeonato Sul-Americano. Em é, da esquerda para a direita: Norival; Ruy; Domingos da Guia; Oberdan; Biguá; Jaime de Almeida e o técnico Flávio Costa. Em pé, da esquerda para a direita: Tesourinha; Zizinho; Heleno de Freitas; Ademir de Menezes e Jorginho Ceciliano.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL