PUBLICIDADE
Topo

Milton Neves

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Milton: Barça atual suaria para ficar em terceiro no Brasileirão

 De Jong e Kimmich em disputa durante Barcelona x Bayern de Munique, pela Liga dos Campeões - AFP
De Jong e Kimmich em disputa durante Barcelona x Bayern de Munique, pela Liga dos Campeões Imagem: AFP
Milton Neves

Milton Neves é jornalista profissional diplomado, publicitário, empresário, apresentador esportivo de rádio e TV, pioneiro em site esportivo no Brasil, 1º âncora esportivo de mídia eletrônica do país, palestrante gratuito de Faculdades e Universidades, escrivão de polícia aposentado em classe especial, pecuarista, cafeicultor e é empresário também no ramo imobiliário.

14/09/2021 17h59

Barcelona 0 x 3 Bayern de Munique

Não pensem, amigos internautas, que eu estou querendo desmerecer o vistoso triunfo do Bayern de Munique.

De forma alguma…

A equipe alemã faz há anos um trabalho exemplar e merece colher os frutos no presente.

Como colheu na penúltima Champions League, quando venceu na final o bom PSG de Neymar e Mbappé.

Mas acontece, meus caros leitores, que o Barça atual não faz sombra ao timaço da década passada que dominou o mundo com Guardiola, Messi, Iniesta, Xavi e cia.

No papel, sem exageros, a equipe da Catalunha não seria a melhor nem em ligas muito mais fracas do que a espanhola.

Aqui no Brasil mesmo, na teoria, Galo e Flamengo são melhores do que o Barcelona que vimos ser derrotado bovinamente pelo Bayern de Munique nesta tarde.

Para ser sincero, se disputasse o Brasileirão, o Barça atual teria que suar muito para "roubar" a terceira colocação do Palmeiras, do Fortaleza ou do Bragantino.

Se bobeasse, poderia ficar atrás até mesmo do meu querido e amado Corinthians, agora reforçado por Willian, Renato Augusto, Róger Guedes e Giuliano.

Não é mesmo?

E eu que não tenho pena do time azul-grená…

Sim, pois jamais esquecerei do que eles fizeram com o meu Santos em dezembro de 2011, em Yokohama.

Foi o maior vareio de bola que vi in loco na minha vida.

Opine!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL