PUBLICIDADE
Topo

Milly Lacombe

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Permitam-me sonhar com o Fortaleza campeão brasileiro

Robson, do Fortaleza, comemora gol contra o São Paulo, no Morumbi, em duelo válido pelo Brasileiro - LUCIANO CLAUDINO/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO
Robson, do Fortaleza, comemora gol contra o São Paulo, no Morumbi, em duelo válido pelo Brasileiro Imagem: LUCIANO CLAUDINO/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO
Milly Lacombe

Milly Lacombe, 53, é jornalista, roteirista e escritora. Cronista com coluna nas revistas Trip e Tpm, é autora de cinco livros, entre eles o romance O Ano em Que Morri em Nova York. Acredita em Proust, Machado, Eça, Clarice, Baldwin, Lorde e em longos cafés-da-manhã. Como Nelson Rodrigues acha que o sábado é uma ilusão e, como Camus, que o futebol ensina quase tudo sobre a vida.

Colunista do UOL

17/07/2021 19h36

Imaginem um Brasil pós pandêmico, com o presidente-genocida impichado, uma aliança de esquerda que promete levar ao poder uma liderança que pense o país a partir da base e das margens e, nesse Brasil que ameaça renascer, o Fortaleza campeão brasileiro. Seria um sinal poderoso de que os ventos mudaram.

Time para isso o Fortaleza tem. Treinador também. Estrutura idem. É uma equipe sem estrelas, bem treinada, que joga um jogo coletivo, rápido e leve. É bonito ver o Fortaleza fazer sua arte de forma destemida e criativa.

Seria muito bom para o nosso futebol, para que as forças sejam deslocadas do centro-sul para o nordeste. Bom para que comecemos a nos enxergar fora dessa bolha sempre tão fechada e prepotente, bom para mostrar que é possível montar um time competitivo sem gastar muito, sem estardalhaços, sem grandes prantos, sem mimimis.

O Brasileirão é campeonato de fôlego; pontos corridos elimina muito o fator sorte - é para os grandes - e o Fortaleza é um deles.

Nesse sábado, 17 de julho, o Fortaleza mostrou suas garras contra o São Paulo no Morumbi. Um jogo marcado também pelo mal súbito sofrido pelo massagista Marcelo Silva, do São Paulo, que teve que ser retirado às pressas pela ambulância.

Falta muito para o fim do Brasileirão, mas o Fortaleza campeão seria um resultado que faria bem a todos e a todas nós. As chances são reais, acho que a essa altura todo mundo já percebeu: o Fortaleza já deixou no chão, com autoridade, Corinthians, São Paulo, Inter e Galo. Trata-se de um sonho possível, bastante possível. E como sonhar ainda não foi privatizado, ainda é livre e gratuito, aproveitemos.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL