PUBLICIDADE
Topo

Milly Lacombe

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Luan inaugura o chute-desabafo

Luan, meia do Corinthians, comemora gol contra o São Paulo na Neo Química Arena - Rodrigo Coca/Agência Corinthians
Luan, meia do Corinthians, comemora gol contra o São Paulo na Neo Química Arena Imagem: Rodrigo Coca/Agência Corinthians
Milly Lacombe

Milly Lacombe, 53, é jornalista, roteirista e escritora. Cronista com coluna nas revistas Trip e Tpm, é autora de cinco livros, entre eles o romance O Ano em Que Morri em Nova York. Acredita em Proust, Machado, Eça, Clarice, Baldwin, Lorde e em longos cafés-da-manhã. Como Nelson Rodrigues acha que o sábado é uma ilusão e, como Camus, que o futebol ensina quase tudo sobre a vida.

Colunista do UOL

03/05/2021 13h08

O Corinthians fez uma coisa incrível no clássico contra o São Paulo: jogou tão mal, mas tão mal, que acabou desorientando o adversário, um time que é, indiscutivelmente, bastante melhor. O jogo logo de cara assumiu uma estética de "casados contra solteiros", com chutões e bolas espirradas, faltas, tropeços e excesso de ziguezagues pelas intermediárias, e o São Paulo ficou desnorteado.

Ainda assim, o São Paulo fez um gol se aproveitando de uma hecatombe de ideias de de iniciativas da defesa corintiana durante um escanteio. E era pra ter sido isso porque o jogo voltou a adquirir o aspecto de uma pelada ruim, mas eis que nosso Sobrenatural de Almeida entrou em campo e decidiu inaugurar o chute-desafabo através dos pés de Luan.

Eu já estava indo dormir quando Luan desabafou aquele míssil e a bola entrou no ultimo lugar possível e mais alto do gol. Quando percebi que Sobrenatural de Almeida, o maravilhoso personagem que Nelson Rodrigues inventou para explicar o inexplicável numa partida, estava em campo decidi ficar até o final. Só que o Sobrenatural fez mesmo só uma aparição rápida e se mandou.

É sempre bom manter tabus, mas é só isso mesmo que o jogo de ontem representa. O São Paulo não deixa de ser um dos times mais sólidos do Brasil hoje e o Corinthians não deixa de oferecer ao torcedor um ano de muitos pesadelos futebolísticos. A menos, claro, que Sobrenatural de Almeida tenha compaixão da gente e se apresente mais vezes com a camisa corintiana.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL