PUBLICIDADE
Topo

Milly Lacombe

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Nasce um ídolo no Galo

Nacho Fernández mais uma vez fez boa partida e ajudou o Atlético-MG em seu primeiro clássico no Brasil - Divulgação/Mineirão
Nacho Fernández mais uma vez fez boa partida e ajudou o Atlético-MG em seu primeiro clássico no Brasil Imagem: Divulgação/Mineirão
Milly Lacombe

Milly Lacombe, 53, é jornalista, roteirista e escritora. Cronista com coluna nas revistas Trip e Tpm, é autora de cinco livros, entre eles o romance O Ano em Que Morri em Nova York. Acredita em Proust, Machado, Eça, Clarice, Baldwin, Lorde e em longos cafés-da-manhã. Como Nelson Rodrigues acha que o sábado é uma ilusão e, como Camus, que o futebol ensina quase tudo sobre a vida.

Colunista do UOL

04/04/2021 17h59

Nacho Fernandez é um jogador diferente. É meia, é atacante, é centro-avante e tem uns tiques de segundo volante. Corre o jogo inteiro e se coloca intuitivamente nos lugares certos nas horas certas. Desde sua estreia no time mineiro, em março contra o Coimbra, participou de todos os gols feitos pelo time até aqui, a exceção do terceiro contra o América (já tinha sido substituído)

Veio do argentino River Plate, de onde saiu como ídolo. E quem gosta do futebol argentino sabe que não se torna ídolo de um time como o River impunemente.

O que tem me impressionado em Nacho é o jeito criativo de se colocar em campo: ele aparece quase sempre desmarcado, sem a bola marca incansavelmente e, na entrada da área, tem um estilo parecido com o de Alex, que foi ídolo no Coritiba, Cruzeiro e Palmeiras, e também com o de Ricardinho, que jogou no Corinthians e no São Paulo. Se posso seguir com as comparações absurdas, Nacho me parece às vezes uma improvável mistura de Paulo Isidoro, Toninho Cerezo e Reinaldo - ídolos de um Atletico histórico.

Na vitória por 3x1 contra o America no domingo 4 de abril Nacho fez dois gols. Tem sido um prazer ver o argentino jogar.

Se ele for tudo isso mesmo, e o time de Cuca encaixar, nasce um ídolo para o torcedor do Atlético.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL