PUBLICIDADE
Topo

Milly Lacombe

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Quantos mais precisarão morrer para que a gente vire esse jogo?

Luto pelos mortos da covid - Reuters
Luto pelos mortos da covid Imagem: Reuters
Milly Lacombe

Milly Lacombe, 53, é jornalista, roteirista e escritora. Cronista com coluna nas revistas Trip e Tpm, é autora de cinco livros, entre eles o romance O Ano em Que Morri em Nova York. Acredita em Proust, Machado, Eça, Clarice, Baldwin, Lorde e em longos cafés-da-manhã. Como Nelson Rodrigues acha que o sábado é uma ilusão e, como Camus, que o futebol ensina quase tudo sobre a vida.

Colunista do UOL

02/03/2021 20h15

O futebol não está separado da sociedade. O jogo conta uma história. O jogo conta a nossa história.

Discutir futebol é também falar das estruturas que nos organizam social, política, cultural e economicamente.

No dia 2 de março de 2021 o Brasil bateu um novo recorde de mortes por covid: 1726.

São 1726 brasileiros e brasileiras que morreram por negligência política.

Colocado em números a gente talvez perca de vista o impacto dessa tragédia.

Mas quem sabe desse outro jeito a gente escape da tentação de naturalizar o que estamos vivendo:

São 1726 jeitos de dizer eu te amo.

1726 jeitos de dizer "eu ligo quando chegar"

1726 jeitos de sorrir e de amar.

1726 jeitos de torcer, distorcer, sofrer, chorar.

1726 jeitos de contar uma piada.

1726 jeitos de dançar.

1726 jeitos de abraçar.

1726 jeitos de contar uma história.

1726 jeitos de gritar gol.

Estamos testemunhando um genocídio.

Quantos mais precisarão morrer para a gente virar esse jogo?

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL