PUBLICIDADE
Topo

Marília Ruiz

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Marília: 'Se mulher me ofender, dou um murro', diz conselheiro corintiano

Marília Ruiz

Tenho 20 anos de jornalismo esportivo: 5 Copas do Mundo, 4 Olimpíadas, muitos Brasileiros, alguns Mundiais e várias Copinhas. Neste blog seguirei fazendo isso: escrevendo sobre futebol. Sem frescura. Sem mimimi. Para versões oficiais dos clubes e atletas, recomendo procurar as assessorias de imprensa.

16/11/2021 16h37

Revelado por esse blog na última semana, as ofensas machistas do conselheiro vitalício Manoel Ramos Evangelista, conhecido como Mané da Carne, foi protocolada no Conselho Deliberativo do Corinthians nesta terça-feira. A denúncia da conselheira Analu Tomé foi recebida pela secretaria do órgão que agora tem até 30 dias para se manifestar.

Além das mensagens machistas enviadas na última sexta-feira no grupo de WhatsApp de conselheiros, foram anexados áudios enviados depois - que inclui ameaça de agressão física.

"Pode ter certeza. Deleto tudo o que vocês (sic) posta. É muita sacanagem ler essas bobagem (sic) que você posta. Vai arrumar um tanque de roupa para se divertir", escreveu Mané da Carne no grupo que discutia uma verba para festas beneficentes no final do ano no clube.

No dia seguinte, depois de divulgação aqui em primeiro lugar da misoginia explícita de seus comentários que, segundo relatos de outros conselheiros, são recorrentes, o conselheiro vitalício há décadas no clube disse que não se desculparia com Analu, que não havia falado nada demais e foi além!

"Agora colocaram uma lei da Penha (sic), que qualquer coisa que você fala é mimimi, machismo. Elas podem tudo, e nós não podemos nada. Mas comigo não tem esse negócio não. Se uma mulher me ofender, eu vou pra cima e dou-lhe murro mesmo", afirmou em mensagem ouvida por essa colunista.

Mais tarde, entretanto, tentou justificar o absurdo: "quando eu disse dar um murro, não quis dizer agredir ninguém. Mas um murro de palavras."

Espero que o Conselho Deliberativo do Corinthians saiba como lidar em 2021 com tanta porrada e impropério a misóginos, machistas e, no mínimo, inapropriados em grupo que reúne os seus membros.

2021 e contando.