PUBLICIDADE
Topo

Marília Ruiz

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Marília Ruiz: Não há nada a fazer, Neymar!

Neymar durante jogo suspenso das Eliminatórias contra a Argentina - Marcello Zambrana/AGIF
Neymar durante jogo suspenso das Eliminatórias contra a Argentina Imagem: Marcello Zambrana/AGIF
Marília Ruiz

Tenho 20 anos de jornalismo esportivo: 5 Copas do Mundo, 4 Olimpíadas, muitos Brasileiros, alguns Mundiais e várias Copinhas. Neste blog seguirei fazendo isso: escrevendo sobre futebol. Sem frescura. Sem mimimi. Para versões oficiais dos clubes e atletas, recomendo procurar as assessorias de imprensa.

10/09/2021 09h28

Lamento, Neymar, mas não há o que fazer. Aliás não há nada que você possa fazer.

Respeito não se compra. Não é um helicóptero customizado. Nem uma mansão em Mangaratiba. Respeito também não é idolatria nas redes sociais. Isso dá para comprar.

Arrisco dizer que é isso que você pediu: aplausos e elogios cheios de emojis. Informo: não será tratado na vida real com os mesmos mimos da sua bolha de parças. Ninguém é. Nem a rainha da Inglaterra.

Você já é inconteste personagem maior dentro das quatro linhas da seleção brasileira. E o é com méritos há 11 anos.

Sei que não é exatamente o que seu pai lhe ensinou, talvez por querer blindá-lo dessas pessoas más: mas nem você, que tem muito, pode ter tudo. Ninguém tem tudo.

Fique com seus recordes esportivos conquistados com seu talento, fique com seus milhões, fique com seus fãs (acesse o Instagram em todo tempo livre que tiver).

Ufa, isso dá. Isso é seu.

Respeito é o resultado de uma combinação especial que inclui reciprocidade. Respeita-se quem respeita.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL