PUBLICIDADE
Topo

Marília Ruiz

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Marília Ruiz: Aos idiotas da objetividade

Marília Ruiz

Tenho 20 anos de jornalismo esportivo: 5 Copas do Mundo, 4 Olimpíadas, muitos Brasileiros, alguns Mundiais e várias Copinhas. Neste blog seguirei fazendo isso: escrevendo sobre futebol. Sem frescura. Sem mimimi. Para versões oficiais dos clubes e atletas, recomendo procurar as assessorias de imprensa.

22/06/2021 09h13

Idiotas da objetividade era como o genial/inesquecível Nelson Rodrigues chamava aqueles que viam o mundo de forma absolutamente objetiva. A crônica que deu origem a esse termo incorporado ao vocabulário diário de muitos brasileiros tinha como meta criticar "vocês da imprensa" que reportam notícias sem levar em conta as causas e consequências que levaram a formação daquela informação.

Assista também: Chuteira 'turquesa' de Jô mostra mais uma omissão da diretoria

A chuteira usada por Jô é corinthianamente inviável. Aceitem.

A higienização do nosso futebol com a importação de modelos e fórmulas europeias tem muita a ver com nossa tendência vira-lata, mas também tem a ver com a transformação do discurso da imprensa esportiva em monocórdica e empolada análise de desempenho. É o nosso jeito de valorizar nosso trabalho de conversar, reportar e analisar jogos de futebol. É um jeito bastante eficiente para falar dos 90 minutos, mas o futebol, senhores, começou 40 minutos do nada e não acaba nunca mais.

As histórias do gramado ficam.

A chuteira o Jô perdurará mais do que as estatísticas do 0 a 0 na Bahia.

Porque o futebol é das pessoas, dos torcedores.

E, aceitem, o Corinthians das suas pessoas não usa verde.

O torcedor, de todas as cores, tem manias, tem camisas da sorte, tem amuletos, tem rituais. Respeitemos.

Os torcedores do Corinthians têm uma mania coletiva: não se usa verde.

Respeitemos.

PS: Esse texto não exclui a necessidade urgente e primordial dos diretores do Corinthians respeitarem os seus torcedores, o patrimônio do clube e o mínimo decoro antes de soltarem notas hipócritas e tardias. Onde estava o senhor diretor de futebol quando Jô treinou com a chuteira polêmica? Ele não trabalha no CT, que está fechado para a imprensa? Qual ginástica jurídica será feita para multar Jô, já que a legislação não permite multa pecuniária em casos de "indisciplina"? Ora, ora, respeitem nossa inteligência antes de defenderem seus cargos dos ataques dos torcedores organizados... Informação: tem mais corinthiano fora das organizadas do que dentro delas.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL