PUBLICIDADE
Topo

Marília Ruiz: Crise forte na relação entre CBF e Ferj

Marília Ruiz

Tenho 20 anos de jornalismo esportivo: 5 Copas do Mundo, 4 Olimpíadas, muitos Brasileiros, alguns Mundiais e várias Copinhas. Neste blog seguirei fazendo isso: escrevendo sobre futebol. Sem frescura. Sem mimimi. Para versões oficiais dos clubes e atletas, recomendo procurar as assessorias de imprensa.

29/09/2020 11h51

A acalorada discussão entre Rogério Caboclo, presidente da CBF, e Rubens Lopes, presidente da FERJ, em reunião na semana passada em que se debatia a volta do público aos estádios ainda não acabou.

Ainda que os microfones e as atenções estejam voltados para a cisão ente Flamengo e os demais clubes da Série A (que parece ter sido minimamente contornada pela realização do jogo Palmeiras x Flamengo), a relação da CBF com a FERJ é que está profundamente abalada. Dois interlocutores já tentaram uma aproximação entre ambos - sem concessão nenhuma das partes envolvidas. Até Botafogo e Fluminense, rompidos com a Ferj, estão atentos aos desdobramentos da crise cujos desdobramentos podem afetar ainda mais a crise financeira do futebol no Estado.

Caboclo não digeriu bem a acusação do dirigente carioca de que ele, por estar supostamente nervoso, "teria esquecido de tomar o Gardenal".

Lopes, na ocasião, ouviu de volta: "Você não vai fazer o Campeonato Brasileiro ser refém de um único clube, como fez no Carioca".

Para quem se "divertiu" com o show de horror dos barracos no Leblon e nos Jardins no final de semana, recomendo ficar de olho nesta novela aqui...

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.