PUBLICIDADE
Topo

Marília Ruiz

Peres tem contas e atitudes 'temerárias' analisadas pelo Conselho do Santos

José Carlos Peres, presidente do Santos - Reprodução/YouTube
José Carlos Peres, presidente do Santos Imagem: Reprodução/YouTube
Marília Ruiz

Tenho 20 anos de jornalismo esportivo: 5 Copas do Mundo, 4 Olimpíadas, muitos Brasileiros, alguns Mundiais e várias Copinhas. Neste blog seguirei fazendo isso: escrevendo sobre futebol. Sem frescura. Sem mimimi. Para versões oficiais dos clubes e atletas, recomendo procurar as assessorias de imprensa.

02/08/2020 17h14

"Foi uma gestão mais do que temerária, foi inconsequente".

Essa é conclusão do relatório do Conselho Fiscal do Santos sobre a gestão José Carlos Peres que será votado nesta segunda, 3, pelo Conselho Deliberativo.

A convocação é para votar novamente o demonstrativo financeiro de 2019, mas, tendo sido as contas já rejeitadas pelo Conselho Fiscal (duas vezes) e próprio CD, a reunião poderá ter consequências mais duras e sérias - inclusive o encaminhamento para mais um processo de impeachment.

Se há cerca de um mês, 151 conselheiros votaram pela reprovação das contas, 10 votaram contra e 11 se abstiveram, a matemática pode ser muita mais dura agora para a Administração, que ainda terá que responder por dossiês e denúncias extraoficias que circulam nas redes santistas.

Mais uma vez, o relatório do Conselho Fiscal do clube recomenda a reprovação das contas por diversos motivos, como o pagamento de comissões suspeitas a agentes e o uso do cartão corporativo para uso pessoal do presidente.

Doc Santos 1 - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Além dos documentos oficiais que estão à disposição dos conselheiros a que o blog teve acesso (veja fotos com trechos do relatório do Conselho Fiscal do Santos), outros dossiês circulam nos grupos santistas com denúncias que incluem documentos assinados com promessas de pagamentos de participações a empresários (sem a anuência do Conselho Gestor) e de gastos pessoais mascarados como corporativos.

Doc Santos 2 - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Aqui também está a reprodução de um destes documentos e de um extrato, que inclui gastos em lojas de brinquedos, de lingerie e até um almoço em estabelecimento que não serve alimentação (veja reprodução).

O próprio presidente José Carlos Peres já teria admitido o mau uso do cartão corporativo, segundo membros do Conselho Fiscal. Em entrevista à Gazeta Esportiva, Peres negou a confissão, mas disse ter decidido cancelar o cartão.

Doc Santos 3 - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Segundo o documento assinado por Norberto Moreira da Silva (presidente do Conselho Fiscal), Sylvio Affonso Moita Figo (relator), Dagoberto Cipriano de Jesus Oliva (membro), José Eduardo de Abreu Lopes (membro) e André Ferreira de Abreu (membro), "após 2 anos e 6 meses à frete da gestão do clube, a Administração continua desconhecendo e negligenciando o Estatuto Social que rege o clube". O Relatório também ressalta vários descumprimentos da Lei Federal 13155 (PROFUT) e ressalta que os conselheiros têm a obrigação legal de abrir investigação e apurar as irregularidades sob a pena de serem corresponsáveis pelos delitos.

Doc Santos 4 - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Marcelo Teixeira, ex-presidente do clube e que hoje comanda o Conselho Deliberativo, vai dirigir a votação virtual. A não aprovação das contas será seguida de um encaminhamento da decisão para uma comissão de inquérito e sindicância. Teixeira poderia fazer isso já amanhã, mas é pouco provável que o faça. Temendo ser considerado "golpista", Teixeira deve dar 10 dias de prazo para a formação da comissão. Só depois contaria o prazo para a entrega da defesa da gestão Peres. Paralelamente, claro, seguirá a pressão de conselheiros e torcedores.

A situação acredita que a abertura de janelas internacionais e nacionais de negociação pode ser a saída para diminuir a pressão ao reabastecer os cofres do clube. Com eleições previstas para o final do ano (já são seis pré-candidatos), a oposição fragmentada também é um bônus para Peres se segurar na cadeira até dezembro. Já a oposição torce para um desmantelamento do comitê gestor em meio de tantas denúncias. Formado por 9 membros, a saída de 5 deixariam a direção engessada e forçaria a renúncia de Peres.

Depois da votação desta segunda, a sorte será lançada.

A ver os próximos capítulos...

Em breve, certamente, uma nota oficial do clube vai negar tudo. É para isso que normalmente são pagas as assessorias de imprensa.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.