PUBLICIDADE
Topo

FPF articula para que Paulista mantenha status e parceria com a Globo

Marília Ruiz

Tenho 20 anos de jornalismo esportivo: 5 Copas do Mundo, 4 Olimpíadas, muitos Brasileiros, alguns Mundiais e várias Copinhas. Neste blog seguirei fazendo isso: escrevendo sobre futebol. Sem frescura. Sem mimimi. Para versões oficiais dos clubes e atletas, recomendo procurar as assessorias de imprensa.

13/07/2020 14h41

Enquanto assiste de "camarote" ao imbróglio de Flamengo/Ferj x Globo, a FPF articula conversas e apoio dos clubes para manutenção, a todo custo, do contrato da emissora carioca para retransmissão dos Campeonatos Paulista.

"O Campeonato Carioca já foi o mais charmoso do Brasil. O que está acontecendo no Rio não é bom para ninguém", disse o presidente da FPF, Reinaldo Carneiro Bastos.

Válido até a edição 2022, o atual acordo da emissora carioca com os paulistas rende cerca de 180 milhões por edição (as cotas não pagas em abril, maio e junho, voltaram a ser depositadas no último dia 1). Os grandes recebem R$ 21,6 milhões (além das premiações eventuais) para participar do torneio com 16 clubes divididos em 4 grupos. E é isso que a entidade de SP luta para manter e renovar.

Com medo de que a crise provocada pelo Carioca-20 cause um efeito dominó e prejudique os demais estaduais, a FPF já afinou os discursos de todos seus filiados e "decretou" - mesmo antes e a CBF publicar o calendário do ano que vem:

"O Paulista do ano que vem vai começar no final fevereiro, assim que acabar o Brasileiro, e terminar no final de maio. Será disputado com 16 clubes no mesmo formato do atual", afirmou o presidente da FPF.

Perguntado como seriam, por exemplo, as férias dos jogadores na próxima temporada (já que as férias desse ano foram gozadas em abril por causa da pandemia), o cartola desconversou - mas sempre insistindo que o calendário e o formato seriam mantidos. Perguntado qual o plano da entidade para as divisões de acesso (para garantir acesso, descenso e vagas em campeonatos nacionais e Copas), Bastos também repetiu que em SP "tudo será disputado em campo".

O problema, por ora, é que em campo só há previsão para a retomada da A-1 do futebol profissional. O Governo de SP segue vetando todos os outros treinos e campeonatos de futebol e demais modalidades.

A ver.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.