PUBLICIDADE
Topo

Lei em Campo

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

América Mineiro dá exemplo ao oferecer assessoria financeira a atletas

Lei em Campo

Andrei Kampff é jornalista formado pela PUC-RS e advogado pela UFRGS-RS. Pós graduado e mestrando em Direito Desportivo, é conselheiro do Instituto Ibero Americano de Direito Desportivo e criador do portal Lei em Campo. Trabalha com esporte há 25 anos, tendo participado dos principais eventos esportivos do mundo e viajado por 32 países atrás de histórias espetaculares. É autor do livro "#Prass38".

08/09/2021 08h52

Por Gabriel Coccetrone

Muitos jogadores de futebol encerram suas carreiras sem conseguir ter feito um bom 'pé-de-meia', não conseguindo usufruir do que conquistou em anos de trabalho. Uma das razões para isso ser tão comum está relacionada com a baixa cultura financeira do brasileiro. Se depender do América-MG, essa situação vai mudar.

Na última quinta-feira (2), o Coelho fechou parceria com a TopSoccer, empresa especialista em assessoria jurídica e contábil para atletas profissionais e treinadores. O principal objetivo dos mineiros é que, a partir de agora, jogadores do futebol profissional masculino e feminino, das categorias de base (sub-14 ao sub-20), assim como colaboradores do clube, possam assistir aulas ministradas pelos profissionais da empresa, que busca preparar e passar conhecimento, além de auxiliar no planejamento financeiro de cada um.

Com a iniciativa, o América-MG se tornou o primeiro clube da Série A do Brasileirão a oferecer tal auxílio para seus jogadores, que segundo especialistas, é de grande importância.

William Machado, ex-atleta e sócio da Messem Investimento, diz que a "educação financeira passou a ser um tema muito sensível no Brasil. Ainda há espaço necessário para evoluir, buscando educar as pessoas. Se há entidades dispostas a melhorar a sociedade através da educação, e a educação financeira entra aí, o gesto precisa ser aplaudido".

"A adoção de medidas como inserção de assessoria financeira, administrativa e jurídica aos atletas profissionais e colaboradores dos clubes fornecem meios de efetivar princípios constitucionais de extrema valia para a sociedade, como a dignidade da pessoa humana. Capacitar um atleta de alto rendimento, cuja parte considerável de sua vida, inclusive o período escolar, dedicou-se às atividades esportivas, é uma forma importantíssima de possibilitar a sua profissionalização após o encerramento da sua carreira como atleta, que por demandar excesso de esforço físico, acaba tendo um fim precoce em comparação às outras atividades", avaliou Ana Mizutori, advogada especialista em direito desportivo.

O economista Cesar Grafietti vê a iniciativa com "muito bons olhos".

"É uma forma de os atletas a serem independentes na gestão da carreira e da vida. Esta é uma iniciativa que pode ser expandida para outras frentes, como a da qualificação de jovens que optem por não seguir a carreira de atleta. De qualquer forma, iniciativas como essa merecem atenção para serem reproduzidas em outros clubes", afirmou o especialista.

Ao UOL Esportes, Hudson Santos, um dos sócios da TopSoccer, ressaltou o quanto a iniciativa é positiva.

"Essa parceria tem uma importância muito especial para a TopSoccer. Não só por sermos de Belo Horizonte, mas pelo América-MG ser um clube de muita tradição não só em Minas, mas no Brasil, e um revelador de talentos e ídolos no futebol mundial. Contribuir com a melhor formação, dentro da nossa área de domínio, que é maior conhecimento sobre tomada de decisão, crescimento patrimonial, imóveis, investimentos, cultura contábil e jurídica, tem um sabor muito positivo", destacou.

Criada em 2013, a empresa possui clientes no Brasil e no exterior, e foi a primeira do Brasil a ingressar na área, mais especificamente na Major League Soccer (MLS), liga profissional de futebol dos Estados Unidos.

"Toda a estrutura de apoio que fornecemos para grandes atletas do Brasil e de fora do país que temos como clientes, como Everton Ribeiro, Willian Arão, Rodrigo Caio, Ricardo Goulart, Henrique Dourado, Léo, entre outros, vamos poder fazer com os atletas da base e do profissional e funcionários do América-MG. Pra nós é muito positivo e emocionante a possibilidade de contribuir um pouco com o presente e com a história desse clube tão querido", contou Hudson.

"Certamente, essa proposta do América-MG pode fazer toda uma mudança no futebol mineiro e brasileiro como um todo. Que a gente continue caminhando para uma maior profissionalização e estabilidade em todos os aspectos do futebol, incluindo a gestão patrimonial", completou.

"Oferecer conhecimento, através de estudo com profissionais, o capacitam não apenas para o pós carreira, mas visa refletir inclusive no accountability do atleta perante a toda estrutura da agremiação que circunda fora de campo, e que faz a organização desportiva funcionar", finaliza Ana Mizutori.

Nos siga nas redes sociais: @leiemcampo

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL