PUBLICIDADE
Topo

Como surto de Covid no Flamengo continua a mobilizar o futebol continental

Lei em Campo

Andrei Kampff é jornalista formado pela PUC-RS e advogado pela UFRGS-RS. Pós graduado e mestrando em Direito Desportivo, é conselheiro do Instituto Ibero Americano de Direito Desportivo e criador do portal Lei em Campo. Trabalha com esporte há 25 anos, tendo participado dos principais eventos esportivos do mundo e viajado por 32 países atrás de histórias espetaculares. É autor do livro "#Prass38".

25/09/2020 04h00

Por Ivana Negrão

O Flamengo solicitou ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), na noite desta quinta-feira (24) e em caráter de urgência, o adiamento da partida contra o Palmeiras, válida pela 12ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro.

O pedido dos Rubro-negros foi encaminhado para análise do presidente Otávio Noronha, que estipulou prazo de 24 horas para manifestação da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

A decisão pode sair a qualquer momento nesta sexta-feira (25), segundo o Procurador-geral do STJD, Ronaldo Piacente. "Mas o presidente aguardará o posicionamento oficial da CBF. Caso a entidade não responda no prazo estabelecido, ele decidirá de qualquer forma."

O Flamengo alega que dos 34 inscritos no Brasileirão, 16 jogadores estão com Covid, três estão lesionados e outros três foram transferidos. Assim, restam apenas 12 atletas aptos a jogar. Desses, três goleiros e nove de linha.

A CBF se reuniu virtualmente com os clubes da Série "A" nesta quinta-feira e ampliou de 7 para 13 o número mínimo de atletas não infectados para que a partida seja realizada. Com 12 jogadores, o Flamengo não poderia entrar em campo.

No entanto, a CBF também alterou o limite máximo de inscritos no campeonato de 40 para 50. O que possibilita ao clube registrar novos nomes para o jogo de domingo com o Palmeiras.

O Flamengo já havia solicitado a inscrição de novos atletas à Conmebol, que negou o pedido. O clube tem 40 atletas na Libertadores, enquanto o limite máximo era de 50 por equipe. O prazo de novos registros venceu no dia 18 de setembro.

"A Conmebol fez valer as regras aplicáveis a este período de exceção. Afinal, se existe um protocolo elaborado justamente com o propósito de regular as competições continentais em tempos de pandemia, seria estranho não o levar à risca. Ou seja, se o prazo terminou, terminou", pondera Jean Nicolau, advogado especialista em direito esportivo.

O clube ainda pode recorrer ao Tribunal Disciplinar da Conmebol como fez com o STJD diante da negativa da CBF. E deve fazê-lo o quanto antes, uma vez que tem jogo marcado contra o Independiente Del Valle para a quarta-feira da próxima semana no Maracanã.

O adversário que emplacou uma goleada histórica no Flamengo emitiu nota oficial com a informação de que todo o plantel testou negativo um dia após o jogo. Em 23 de setembro, novos testes foram realizados e um jogador da equipe está infectado. Mais exames serão feitos neste sábado (26).

Até o momento, são 27 contaminados no Flamengo, entre jogadores, comissão técnica e diretoria. O clube anexou ao pedido de adiamento parecer médico assinado por Sylvia Pavan Rodrigues de Paula, que confirma o risco sanitário aos participantes do evento, e recomenda o adiamento de outras partidas dentro do período de 10 a 14 dias a contar do último resultado positivo, em 23 de setembro.

Porém, em entrevista ao Sportscenter da ESPN Brasil, Walter Feldman defendeu que não há qualquer tipo de risco. O secretário-geral da CBF lembrou também da afirmação do presidente Rodolfo Landim, hoje infectado, que em 25 de maio falou sobre a segurança dos protocolos de retorno do futebol.

"O Landim tem razão. Hoje o ambiente do futebol é muito protegido, é muito controlado. A visão dos infectologistas para episódios como o do Flamengo é que a contaminação se deu fora do ambiente do futebol. Vamos investigar. Mas isso não é motivo para paralisar a competição. O que vamos decidir? Se o Flamengo tiver plantel suficiente para jogar, vai jogar. E não haverá risco para ninguém. Falo isso em nome de muitos infectologistas que foram ouvidos. Essa é a realidade", assegurou. secretário-geral da CBF

Os jogadores do Palmeiras, por sua vez, não temem entrar em campo contra o Flamengo. Os atletas divulgaram uma carta contestando o Sindicato dos Atletas de São Paulo que ameaçava ir à Justiça para adiar a partida de domingo. No texto, os atletas dizem que não houve qualquer autorização do elenco para que o sindicato os representassem nessa situação.

Recentemente a Caldense teve pedido de adiamento negado pelo STJD. O clube tinha 12 atletas aptos a jogar e a partida aconteceu pela Série "D", no último domingo. Os mineiros perderam de 3 a 1 do Brasiliense. "Cada caso é um caso e deve ser analisado individualmente. Mas a tendência do Tribunal é seguir na forma da decisão da Caldense", adianta Ronaldo Piacente.

De qualquer forma, o Confiança pegou carona na solicitação do Flamengo e pleiteia junto a CBF o adiamento do jogo com a Ponte Preta, pela 11ª rodada do Brasileirão.

Nos siga nas redes sociais: @leiemcampo

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL