Julio Gomes

Julio Gomes

Siga nas redes
Só para assinantesAssine UOL
OpiniãoEsporte

Carlos Miguel cometerá erro tão gigante quanto ele se deixar o Corinthians

Carlos Miguel é um goleirão. Literalmente. O cara é alto, bom, rápido, tem um potencial enorme pela frente. Mais gente já viu isso, é óbvio, e a notícia da noite de quinta-feira é que há clubes da Inglaterra e Itália dispostos a pagar a multa de 4 milhões de euros e tirá-lo do Corinthians já agora no meio do ano. Isso mesmo, o Corinthians ficaria sem Cássio. E sem Carlos Miguel.

Para o clube, seria um desastre, o que é óbvio. Um dos maiores ídolos da história saiu desgastado, sem as devidas homenagens, mas pelo menos a compensação do "caso Cássio", ou até mesmo a origem dele, era o fato de estar disponível dentro de casa um goleiraço para 5, 10, 15 anos. Sem contar o vexame que seria para a atual gestão deixar escapar um atleta desses, assim, por um trocado.

Mas o ponto que quero abordar não é o do Corinthians e, sim, o de Carlos Miguel. E me parece que o rapaz de 25 anos de idade estará cometendo um erro terrível se deixar o Corinthians para jogar fora do Brasil.

Primeiramente, quero deixar claro que não gosto muito de opinar com o bolso dos outros. Cada um com seus problemas e suas ambições. Mas é óbvio que Carlos Miguel não precisa trocar o Brasil pelo exterior para ficar rico. O que os jogadores fazem de verdade, ao ficar trocando de clube, é deixar os outros ricos. Os empresários e intermediários, eles mesmos. Não à toa, são os que ficam buzinando no ouvido dos caras e se colocando como os gestores de carreira, os verdadeiramente preocupados com o futuro do atleta. O que esses caras querem é grana. E já passou da hora de jogador de futebol crescer e se tocar disso. Conselho de empresário tem que ser ouvido, OK, mas não aceito de olhos fechados.

Carlos Miguel, se ficar no Corinthians, vai ser rico do mesmo jeito. Vai resolver a vida financeira dele, da família e da próxima geração. Se for para a Europa vai resolver de cinco gerações? Não sei, talvez sim, talvez não. Se ele construir a carreira que está construindo aqui, ainda mais em clube grande, não vão faltar dinheiro, contratos de publicidade e outras oportunidades.

Dito isso, vamos a um ponto absolutamente subjetivo. É sacanagem Carlos Miguel deixar o Corinthians depois do que aconteceu esse ano! Cássio saiu, oras bolas. A torcida pediu e ele virou titular do time. Ele é o cara. Uma das maiores torcidas do mundo está apaixonada por ele, tem anos e anos pela frente para ajudar o clube, tentar títulos, estar na vitrine pensando em seleção brasileira e Copas do Mundo. Justo quando vira titular, quando a coisa acontece, pega e vai embora? Isso não está certo, não. Se tivesse saído fora ano passado, ou quando estivesse no banco agora em fevereiro, seria aceitável. Mas sair agora?? Me parece uma incrível falta de ética e compreensão.

Se ele está pensando em espaço e seleção, pode ficar de boa no futebol brasileiro. Na última Copa, teve Weverton. Antes, Cássio. Em 2014, Jefferson e Vítor. Podemos voltar para Rogério Ceni ou Marcos. Na posição de goleiro, ao contrário de outras, talvez até de todas as outras, nunca foi uma condição essencial estar fora do país para ser convocado. Muito pelo contrário. O Brasil tem tantos goleiros, teve tantos ao longo dos anos, que estar no futebol brasileiro, aparecer na mídia e para os treinadores, muito mais ajudou do que atrapalhou.

Não há, quando se fala de goleiro, o consenso que há em relação ao resto: "Só é bom quem se prova lá fora". É uma posição diferente, e um goleiro pode ser bom e mostrar valor no Brasileirão, na Premier League, na Série A italiana ou em qualquer lugar. Goleiros são um mundo à parte no futebol, e o Brasil sabe trabalhar este mundo como poucos países, diga-se. Quem são melhores? Os goleiros brasileiros ou os ingleses? Ninguém precisa ir para a Premier League para virar bom goleiro, ser visto e respeitado.

Carlos Miguel tem 25 anos e uma vida pela frente. Se ele confiar no taco dele, saberá que sempre poderá encontrar uma porta para o exterior nos próximos anos, caso assim desejar. Pode construir uma carreira no Corinthians e sair daqui dois, três anos. Espero que o garoto coloque a mão na consciência e pense em algo mais do que o bolso cheio. Pense em tudo o que foi feito e tudo o que aconteceu até ele chegar à posição em que está. Na quantidade de pessoas - e aqui não me refiro a dirigentes - que depositaram nele muita esperança.

Continua após a publicidade

O lugar dele, pelo menos por enquanto, deveria ser aqui.

Opinião

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Deixe seu comentário

Só para assinantes