Julio Gomes

Julio Gomes

Siga nas redes
Só para assinantesAssine UOL
OpiniãoEsporte

Grêmio está no jogo e agora pode até escolher destino na Libertadores

O Grêmio escapou do gramado pesado, da torcida contra, Marchesin brilhou no segundo tempo, e o time de Renato conseguiu voltar do Chile com uma vitória por 1 a 0 sobre o Huachipato e a classificação para as oitavas da Copa Libertadores da América.

Era um grupo teoricamente de dois times e que ficou esquisito com os resultados bons do fraco Huachipato e os péssimos do bom time do Estudiantes. Sobrou para os argentinos, que nem sequer têm chance de jogar a Sul-Americana. O Grêmio, apesar do mau início, conseguiu se recuperar com três vitórias seguidas - fez o mesmo que o Botafogo. E está no jogo.

Apesar da tragédia, que obviamente afetou todo mundo, o discurso de Renato, colocando o Grêmio muuuuuuuito abaixo de todo mundo, com todos esses "Us" aí, não é condizente com a realidade. Na loucura do futebol brasileiro, ficar um mês sem jogar nem é tão péssimo assim necessariamente. O Grêmio está no jogo, eu repito. Avança na Libertadores e vai competir normalmente no Brasileiro. Se as coisas derem errado, é provável que os motivos tenham a ver com aspectos técnicos e táticos. Não era exatamente um time que voava em campo antes da tragédia no Estado gaúcho.

Contra o Huachipato, o Grêmio fez um grande primeiro tempo, com um gol e três bolas na trave. Mas desapareceu no segundo, não soube reagir a um adversário que foi para cima. Marchesin salvou a vitória com várias defesas, e o Grêmio não foi bem. Pouco importa.

Agora, Renato pode escolher que caminho seguir na Libertadores. Vai enfrentar sábado um Estudiantes reserva e sem aspirações continentais, já eliminado de tudo. Se vencer ou empatar por 2 ou mais gols de diferença, o Grêmio será o primeiro do Grupo C e enfrentará o Peñarol nas oitavas de final, com a vantagem de decidir a segunda em casa. Nas quartas, porém, haveria um confronto contra o Flamengo, que vem sendo um "papai" do Grêmio nos últimos anos, ou contra o Bolívar, decidindo na altitude. O detalhe é que uma eventual eliminatória contra o Flamengo seria decidida em Porto Alegre, caso o Grêmio vença seu último jogo na fase de grupos - uma vantagem não desprezível.

Caso o Grêmio perca para o Estudiantes ou empate por 0 a 0 ou 1 a 1, ele será segundo no grupo. Jogaria contra o Fluminense, decidindo a segunda no Rio, e depois pegaria nas quartas provavelmente o Atlético Mineiro, que enfrenta o San Lorenzo.

Qual o melhor caminho até as semifinais e rumo ao tetra? Peñarol e Flamengo decidindo ambas em casa? Fluminense e Galo decidindo ambas fora? Para mim, a resposta é fácil. E para vocês?

Opinião

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Deixe seu comentário

Só para assinantes