PUBLICIDADE
Topo

Julio Gomes

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Gomes: Real segue 'mandando' no Barcelona, mas clássico foi equilibrado

Vini Júnior vai para cima de Daniel Alves durante Real Madrid x Barcelona, pela Supercopa da Espanha - Ahmed Yosri/Reuters
Vini Júnior vai para cima de Daniel Alves durante Real Madrid x Barcelona, pela Supercopa da Espanha Imagem: Ahmed Yosri/Reuters
Conteúdo exclusivo para assinantes
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

12/01/2022 18h34

O Real Madrid chegou nesta quarta à quinta vitória consecutiva sobre o Barcelona - o clube catalão completará em março três anos sem ganhar do maior rival. Mas a partida pela Supercopa da Espanha, realizada na Arábia Saudita, foi bem mais equilibrada do que muitos esperavam.

O Real venceu por 3 a 2, com um gol na prorrogação de Valverde. E disputará o título da Supercopa contra o vencedor do duelo entre Atlético de Madrid e Athletic Bilbao, que jogam nesta quinta. O Barça volta para casa.

Volta com razões para otimismo, até. Diante de todas as limitações que se impõem ao clube, até que o Barça fez uma partida honesta contra o um Real Madrid que lidera La Liga com 17 pontos a mais do que seu eterno rival.

De qualquer maneira, estamos testemunhando um domínio do Real Madrid que não se via havia duas décadas. A maior sequência de vitórias seguidas do Real sobre o Barça ocorreu nos anos 60 - foram sete. Agora já está em cinco. O número de jogos de invencibilidade é de seis. A maior sequência do Real é de oito, entre 2001 e 2003.

"Falta ganhar, mas podemos sair com a cabeça bem alta desde jogo. Competimos, são grandes notícias", resumiu Piqué, o grande líder do Barça atualmente. O clube contou com a estreia de Ferrán Torres - que fez um jogo mais ou menos, em campo só no primeiro tempo -, teve Ansu Fati em campo e fazendo gol, reencontrou Pedri e até Daniel Alves, o veteraníssimo, deu razões para a torcida ficar otimista.

Quem esperava ver um banho de Vinícius Júnior pela esquerda, para cima de Dani Alves, se enganou. O duelo brasileiro foi muito equilibrado, e Alves conseguiu truncar muitas jogadas de Vini. No segundo tempo, chegou a levar amarelo por uma falta desnecessária e ficou pendurado. No ataque, pouco fez. Mas até que deu conta do recado em um confronto difícil para ele.

Vini Jr brilhou mesmo assim, mas em outros setores do campo. No primeiro tempo, Benzema roubou uma bola de Busquets e depois deu a assistência para Vini fazer um belo gol, 1 a 0. Luuk de Jong empatou ainda na etapa inicial. No segundo tempo, o Barça voltou muito melhor a campo e era superior ao Real, quando Benzema fez o 2 a 1. Aí foi o Real que teve muitas chances para matar a partida, mas não aproveitou os espaços e Ansu Fati empatou de forma surpreendente, de cabeça.

Na prorrogação, um contra ataque mortal pela direita acabou no gol de Valverde, após belo corta-luz de Vini Jr. O Barça pressionou, alçou bolas na área e caiu de pé. Para quem achava que seria uma goleada, ledo engano.

O Barça volta para casa com motivos para ficar animado. E o Real Madrid, que é mais time, joga pela taça no domingo.

Clique aqui para acompanhar a LIVE após o superclássico espanhol, com Julio Gomes e convidados.