PUBLICIDADE
Topo

Julio Gomes

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Gomes: Pênalti escandaloso abre o caminho para Real Madrid e Vini Jr

Vinicius Jr comemora gol marcado pelo Real Madrid contra o Valencia - David S. Bustamante/Soccrates/Getty Images
Vinicius Jr comemora gol marcado pelo Real Madrid contra o Valencia Imagem: David S. Bustamante/Soccrates/Getty Images
Conteúdo exclusivo para assinantes
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

08/01/2022 18h59

O Real Madrid se recuperou na Liga espanhola, ganhou do Valencia por 4 a 1 e segue controlando a classificação do campeonato. Vinícius Jr brilhou de novo, com dois gols no segundo tempo, chegando a 12 na competição.

Mas chamou muita atenção o primeiro gol do Real, que saiu de um pênalti escandalosamente marcado pelo árbitro Hernádez Hernández sobre Casemiro.

O volante brasileiro invadiu a área, tropeçou no jogador do Valencia e caiu. O árbitro deu pênalti com convicção, o VAR não chamou para corrigir e ficou por isso mesmo. Benzema bateu e abriu o marcador. Até aquele momento, era um jogo de domínio do Madrid, mas com poucas chances criadas - a melhor, uma batida de Modric no travessão.

O Valencia tinha a proposta do contra ataque. Quando um time que joga para se defender leva uma paulada como essas, o jogo quase acaba. Como acabou. E os gerentes das redes sociais do clube aproveitaram para fazer uma alusão à série espanhola "La Casa de Papel", falando de "roubos em Madrid". Foi um sucesso de likes e RTs.

Com campo aberto, o Real explorou os espaços no segundo tempo. O primeiro gol de Vinícius Jr saiu de uma tabela com Benzema, em uma jogada cada vez mais característica - o brasileiro corta para dentro, invade a área e cria oportunidades de chute ou passe. A zaga tentou impedir, mas Vini acreditou na jogada para marcar.

Logo depois, o contra ataque acabou nos pés de Asensio, que chutou forte. O goleiro Cilensen rebateu, e Vini Jr só completou de cabeça. O Valencia diminuiu, de pênalti, e ameaçou fazer o segundo gol. Mas Benzema concluiu uma atuação de gala fazendo o quarto gol.

Um jogo que o Real Madrid ganharia (provavelmente), independente do pênalti mal marcado. Mas o lance chama muito a atenção em tempos de VAR. No Brasil, do VAR intervencionista, o lance certamente seria revisado. Na Europa, corretamente, árbitros não têm sido chamados para reinterpretar lances.

No entanto, o lance de Casemiro não era de interpretação. Foi uma jogada objetiva, em que o choque foi gerado pelo próprio brasileiro, não pelo adversário. Não há margem para interpretação de lance faltoso. O VAR deveria ter corrigido a marcação de campo - sem a necessidade de chamá-lo para rever no monitor.

O Real Madrid tem tudo para ser campeão espanhol - o Sevilla é o único que matematicamente parece ter condição de impedir a conquista, mas não dá mostras de ter punch para buscar o título. O de Carlo Ancelotti é um time que está ganhando corpo, pensando em Champions League. Goleiro espetacular, dupla de zaga cada vez mais firme, meio de campo de qualidade comprovada e uma dupla de ataque que está metendo medo.