PUBLICIDADE
Topo

Julio Gomes

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Gomes: Atlético de Madrid sobrevive na Champions em jogo de Libertadores

Conteúdo exclusivo para assinantes
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

07/12/2021 19h01

Um jogo de Libertadores na Liga dos Campeões da Europa. Assim podemos resumir o Porto 1 x 3 Atlético de Madrid desta terça-feira, que classificou o time de Simeone para as oitavas de final.

Com a derrota do Milan para o Liverpool por 2 a 1, de virada, o jogo do Porto era a definição direta da segunda vaga. Ao Porto, bastava o empate. Mas o Atlético, fora de casa, ficou com a vaga mesmo após uma fase de grupos ruim e o momento péssimo na Liga espanhola.

No mês em que Simeone completa dez anos no cargo, o Atlético fez um jogo com a cara de seu treinador. Partida amarrada, em que a raça prevaleceu sobre a técnica, com tensão, simulações, expulsões, empurra-empurra, muito bate boca e xingamentos. Só faltou invasão de gramado e chuva de garrafas no juiz para ser um jogo totalmente sul-americano na Europa.

O primeiro tempo foi do Porto, que jogou melhor que o Atlético - que estava desfalcado no sistema defensivo. O Milan chegou a abrir o placar e estar com a vaga, mas logo sofreu o empate para o Liverpool, e o Porto estaria passando às oitavas com o 0 a 0 em casa.

No segundo tempo, no entanto, o Atlético abriu o placar em gol de escanteio, aos 11min. A bola sobrou para Griezmann, que só empurrou. E aí o jogo começou a pegar fogo, como era de se esperar.

Em um lance na lateral do campo, Carrasco tenta segurar a bola, o brasileiro Otávio tenta tirar dele, Carrasco dá um chega para lá e o jogador do Porto fica caído, como se tivesse levado um golpe de MMA. Vermelho para o belga. A tensão tomou conta da partida, Otávio voltou a simular uma agressão - mas desta vez o juiz não caiu na dele. Ato seguido, outro brasileiro, Matheus Cunha, fez a mesma coisa. Levou um chega para lá de Wendell e caiu no chão como se tivesse sido agredido. Vermelho para Wendell e 10 contra 10 em campo.

A partir daí, o Porto tomou o controle do jogo em busca do empate. Nos acréscimos, porém, o Atlético matou o jogo com dois gols sul-americanos - Correa e De Paul. Ainda deu tempo de o time da casa descontar, de pênalti.

O Atlético reencontrou corpo e alma em Portugal. Agora precisa reencontrar o futebol antes do dérbi de domingo, contra o Real Madrid.

Assista à análise em vídeo dos jogos de hoje da Champions League clicando aqui.

Siga o Julio Gomes no Twitter.

Inscreva-se no Podcast Futebol Sem Fronteiras no YouTube para mais futebol internacional.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL