PUBLICIDADE
Topo

Julio Gomes

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Gomes: Jorge Jesus estaciona o ônibus e obriga Barça a vencer em Munique

Enquanto Xavi conversava com Gavi, Jorge Jesus fez mudanças no Benfica para renovar fôlego da equipe - Albert Gea/Reuters
Enquanto Xavi conversava com Gavi, Jorge Jesus fez mudanças no Benfica para renovar fôlego da equipe Imagem: Albert Gea/Reuters
Conteúdo exclusivo para assinantes
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

23/11/2021 18h55

Jorge Jesus, conhecido no Brasil por ser o técnico mais ofensivo do mundo, mostrou aquilo que todos já sabíamos: há várias maneiras de vencer no futebol. E também de empatar.

Com um ônibus estacionado dentro da área e abrindo mão até de contra atacar, o Benfica conseguiu segurar um 0 a 0 em Barcelona, diante do time de Xavi. A "final" em plena fase de grupos da Champions League acabou sem vencedor. Mas o Benfica era quem queria o empate.

A chance de vitória do Benfica até veio nos acréscimos, em um contra ataque dois contra um, desperdiçado por Seferovic. Teria sido um castigo tremendo ao Barça, pelo que foi o jogo.

No grupo, o Bayern de Munique já está classificado em primeiro. O Barcelona tem sete pontos, o Benfica tem cinco. O Barça depende só dele na última rodada. Como assim o Benfica queria o empate, então?

É que o Barça terá de ganhar em Munique para avançar. Será provavelmente contra um time totalmente reserva do Bayern, mas mesmo os reservas do Bayern são superiores ao Barcelona de hoje.

A conta para o Benfica é simples: vencer o eliminado Dynamo de Kiev, em Lisboa, e esperar que o Barça não vença em Munique - um empate do Barça bastaria, porque a vantagem é do Benfica no critério de desempate (confronto direto) em caso de empate em pontos.

Se o Barcelona não ganhar em Munique, só se classificará caso o Benfica não vença o Dynamo. Seria a primeira eliminação do Barça em fases de grupos desde a temporada 2000/2001.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL