PUBLICIDADE
Topo

Julio Gomes

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Portugal e Espanha fazem jogos cruciais pelas eliminatórias da Copa-2022

Cristiano Ronaldo tentará ajudar Portugal novamente contra a Irlanda - Getty Images
Cristiano Ronaldo tentará ajudar Portugal novamente contra a Irlanda Imagem: Getty Images
Conteúdo exclusivo para assinantes
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

11/11/2021 04h31

Portugal e Espanha entram em campo nesta quinta, pelas eliminatórias europeias para a Copa do Mundo, para jogos que são fundamentais antes das partidas efetivamente decisivas que farão para se garantir em 2022 - ou não, e acabarem em uma ingrata e perigosa repescagem.

Portugal vai a Dublin enfrentar a Irlanda, pelo grupo A, enquanto a Espanha viaja a Atenas para jogar contra a Grécia, pelo grupo B.

Para a seleção de Cristiano Ronaldo, ganhar ou empatar contra a já eliminada Irlanda dá na mesma. Os dois resultados servem para Portugal assumir a liderança do grupo e, no domingo, jogar pelo empate contra a Sérvia, em Lisboa, para se classificar para o Mundial. Caso percam na Irlanda, aí os portugueses serão obrigados a vencer o jogo decisivo contra os sérvios.

A grande preocupação para Portugal é a lista de pendurados - são seis: João Cancelo, Rúben Dias, José Fonte, João Palhinha, Renato Sanches e Diogo Jota. Se algum deles tomar amarelo, estará fora da "final" de domingo. Bernardo Silva, do Manchester City, com dores musculares, não viajou a Dublin e ficou em Portugal para estar recuperado para a partida contra a Sérvia.

Já a situação da Espanha, no grupo B, é mais delicada. Com 13 pontos, a seleção de Luis Enrique está atrás da Suécia, que tem 15. A Grécia soma 9 e ainda sonha com a repescagem.

A Suécia entra em campo contra a Geórgia antes (14h de Brasília) e, se vencer, joga a pressão para a Espanha, que precisará vencer também na Grécia (16h45) - caso contrário, os suecos irão ao Mundial e restará à Espanha jogar a repescagem. Caso ambos vençam ou caso a Suécia não ganhe o jogo dela na Geórgia, aí necessariamente a vaga será disputada no confronto direto entre elas, marcado para domingo, em Sevilha.

A Espanha pode chegar domingo jogando pelo empate, caso vença hoje a Grécia e a Suécia tropece. O mais provável é que as duas seleções se enfrentem pela vaga direta na Copa e que os suecos tenham a vantagem do empate. Mas, é bom lembrar novamente: se a Suécia ganhar o jogo dela e a Espanha não vencer em Atenas nesta quinta, o grupo ficará definido antes mesmo do confronto direto.

Por isso, os jornais espanhóis sublinham o caráter de "final" da partida de hoje. "El partidón", destaca a manchete do "Marca", enquanto o diário catalão "Sport", que raramente dá mais importância à seleção espanhola do que ao Barcelona, destaca na capa que "o Mundial está em jogo".

"Vamos ganhar os jogos que faltam", falou um otimista Luís Enrique, que novamente apostará na juventude. Com uma equipe inexperiente, mas bastante talentosa, a Espanha chegou à semifinal da última Eurocopa e quase ficou com o título da Nations League, perdendo a final para a França.

Os outros jogos da quinta serão válidos pelos grupos H e J. No H, Rússia e Croácia têm partidas teoricamente protocolares contra, respectivamente, os fracos Chipre e Malta. No domingo, as duas forças do grupo farão a "final" em Split, na Croácia, com os russos tendo a vantagem do empate para garantir vaga no Mundial e jogar os vice-campeões da última Copa para a repescagem.

O grupo J já tem a Alemanha com a primeira colocação garantida, e o jogo de hoje, contra Liechtenstein, em Wolfsburgo, deve acabar em goleada. A disputa mesmo é pela repescagem. A Romênia tem 13 pontos, contra 12 da Macedônia do Norte e da Armênia, que se enfrentam em solo armênio. A Romênia recebe a Islândia nesta quinta, em Bucareste, e uma vitória a deixará em situação confortável, pois na última rodada viajará a Liechtenstein para um jogo teoricamente tranquilo.