PUBLICIDADE
Topo

Julio Gomes

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Dinamarca mostra alma; rodada classifica França, Inglaterra e mais três

Dinamarca comemora gol contra a Rússia no último jogo da fase de grupos da Eurocopa - Pool via REUTERS
Dinamarca comemora gol contra a Rússia no último jogo da fase de grupos da Eurocopa Imagem: Pool via REUTERS
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

21/06/2021 17h59

Depois do susto com Eriksen logo na estreia na Eurocopa e uma derrota inesperada para a fraquíssima Finlândia, a Dinamarca parecia morta. Nada disso.

Na segunda rodada, a seleção nórdica reagiu e fez um grande jogo contra a Bélgica, apesar da amarga derrota por virada por 2 a 1. E, nesta segunda-feira, goleou a Rússia por 4 a 1, classificando-se como segunda colocada no grupo B - foi beneficiada pela derrota dos finlandeses diante dos belgas por 2 a 0, na outra partida da noite.

A Bélgica ganhou o grupo com nove pontos. Dinamarca, Finlândia e Rússia ficaram empatadas com três pontos. O primeiro critério para o desempate são os confrontos diretos entre as três. Neste quesito, com a goleada de hoje, a Dinamarca ficou à frente, deixando a Finlândia na terceira posição do grupo e, a Rússia, eliminada.

Com estes resultados e a vitória da Áustria sobre a Ucrânia, mais cedo, pelo grupo C, ficou definido que pelo menos dois terceiros colocados acabarão com três pontos. Isso automaticamente classificou cinco seleções para as oitavas de final sem nem mesmo entrarem em campo: Suíça, Chéquia, Inglaterra, Suécia e França (todos com quatro pontos) já estão na próxima fase, juntando-se a Itália, Gales, Holanda, Áustria, Holanda e Dinamarca. Resta saber em que posição ficarão em seus grupos, mas todas as seleções que chegarem a quatro pontos estarão matematicamente dentro das oitavas.

A Dinamarca mostrou muita força nos jogos contra Bélgica e Rússia, contando com um apoio importante da torcida - 25 mil pessoas presentes em Copenhague. Nas oitavas de final, terá um duelo contra País de Gales em que é favorita.

Às vezes, adversidades matam equipes de futebol. Outras vezes, criam a união e a força necessárias para o próximo passo. O que aconteceu com Eriksen, que teve um ataque cardíaco e quase morreu em campo, claramente criou um laço, uma força extra. A Dinamarca é uma boa seleção de futebol, com jogadores de primeiro nível europeu, e que encontrou, na quase-tragédia com sua maior estrela, aquela motivação que faltava para sonhar com algo grandioso.

A chave não é nada impossível para pensar, por exemplo, em uma semifinal. Quando foi campeã pela primeira e única vez, em 1992, a Dinamarca nem mesmo estava na fase final da Euro e entrou aos 45 do segundo tempo, pela exclusão da ex-Iugoslávia. Olho nela.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL