PUBLICIDADE
Topo

Julio Gomes

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Cristiano Ronaldo amplia a lenda e torna-se maior artilheiro das Eurocopas

Cristiano Ronaldo comemora gol marcado pela seleção de Portugal no duelo contra a Hungria, pela 1ª rodada da Eurocopa - Bernadett Szabo - Pool/Getty Images
Cristiano Ronaldo comemora gol marcado pela seleção de Portugal no duelo contra a Hungria, pela 1ª rodada da Eurocopa Imagem: Bernadett Szabo - Pool/Getty Images
Conteúdo exclusivo para assinantes
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

15/06/2021 14h53

Portugal estreou na Eurocopa-2021 vencendo a Hungria por 3 a 0, em Budapeste. Devido a uma decisão (contestável) do governo húngaro, a Puskas Arena teve casa cheia. É o único estádio da Euro que recebe 100% da capacidade durante a competição e é o primeiro jogo de futebol competitivo na Europa em que uma equipe (ou seleção) jogou verdadeiramente em casa desde março do ano passado, quando começou a pandemia.

Foi a vitória da persistência e com uma pitada de sorte. Portugal dominou completamente a partida e criou chances, principalmente no primeiro tempo. No segundo, foi perdendo o gás e o jogo se encaminhava para um 0 a 0. Foi quando Raphal Guerreiro errou um chute, mas a bola desviou na zaga húngara e entrou, já nos minutos finais. Logo depois, de pênalti, Cristiano Ronaldo fez o segundo. E, nos acréscimos, o terceiro.

Cristiano bateu várias marcas em Budapeste, ampliando sua lenda como um dos maiores jogadores da história do futebol.

Tornou-se o primeiro jogador a atuar em cinco fases finais de Euro na história. E transformou-se no maior artilheiro das Eurocopas, chegando a 11 gols e deixando o francês Michel Platini para trás.

A diferença é que Platini fez todos os 9 gols dele em apenas uma edição, quando a França foi campeã pela primeira vez, em 1984. Já Ronaldo está em sua quinta Euro e chegou à marca fazendo 17 jogos a mais (22 a 5). Mas, em números absolutos, o que importa é que o português virou o maior artilheiro da história da competição.

Ele também desempatou uma marca que compartilhava com o alemão Schweinsteiger: chegou a 39 partidas de Copas do Mundo e Eurocopas. E também é o único jogador com pelo menos um gol em cinco Euros diferentes.

Portugal é a única seleção que passou da fase de grupos e chegou ao mata-mata nas últimas seis Euros, uma sequência que começou na edição de 1996. Com a vitória sobre a Hungria e com boa diferença de gols, Portugal se aproxima de ampliar a marca. Os próximos jogos serão contra Alemanha e França, no chamado "grupo da morte", mas possivelmente três pontos já sejam suficientes para passar de fase - como um dos melhores terceiros colocados.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL