PUBLICIDADE
Topo

Julio Gomes

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Reta final da Europa tem surpresas perto do título, e PSG e Juve, do vexame

Neymar em campo durante o empate entre PSG e Rennes - FRED TANNEAU/AFP
Neymar em campo durante o empate entre PSG e Rennes Imagem: FRED TANNEAU/AFP
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

10/05/2021 16h25

A temporada dos estádios vazios está chegando ao fim. Os campeonatos europeus se aproximam das rodadas finais, e três Ligas estão perto de ter campeões pouco comuns. Sporting, em Portugal, Lille, na França, e Atlético de Madrid, na Espanha.

Em Portugal, o Sporting poderá ser campeão amanhã se vencer o Boavista - que está na zona de rebaixamento. Se não for amanhã, o próximo match point será no clássico contra o Benfica, de Jorge Jesus, marcado para sábado (dois empates nestes dois jogos também bastariam). Apesar de ser o terceiro grande do país, o Sporting amarga 19 anos sem títulos e vê um total domínio de Benfica e Porto no país - os leões ganharam a Liga só duas vezes nas últimas quatro décadas, praticamente.

O mais incrível é que a quebra do jejum pode vir de forma invicta, o que só aconteceu em Portugal três vezes (uma com o Benfica e duas com o Porto). Até agora, o time do promissor técnico Ruben Amorim ganhou 24 jogos e empatou 7. Em tempos de reaberturas no país, a metade verde de Lisboa já está preparando a aguardada festa.

Na Espanha, o Atlético de Madrid tem um orçamento enorme e virou um protagonista europeu desde a chegada de Simeone, 10 anos atrás. Mas o fato é que ganhar título espanhol é uma raridade: foi apenas um nos últimos 25 anos, conquistado já com Simeone, em 2014.

O Atlético tem dois pontos a mais que Real Madrid e Barcelona e faltam três rodadas. Não há margem para erro, pois o Real tem a vantagem de acabar empatado em pontos. Os três jogos restantes para o Atlético são contra Real Sociedad, nesta quarta-feira, Osasuna e Valladolid nos dois próximos domingos. A Real Sociedad está em quinto lugar, é um bom time, mas já confortável em posição de classificação para a próxima Europa League. O Osasuna é o 12o, e o Valladolid, único jogo que o Atlético fará fora de casa, luta para não cair.

VEXAMES

Na França, estamos a ponto de ver a maior surpresa no futebol europeu em alguns anos. Apesar de ter sido marcada pela pulverização ao longo de sua história, a Ligue 1 viu no começo do século um domínio inédito do Lyon (sete títulos seguidos) e, ato seguido, a compra do PSG pelo Catar.

Com um orçamento bizarramente maior que o dos outros, o Paris ganhou sete dos últimos oito campeonatos. Só perdeu em 16/17, para o Monaco, mas reagiu fazendo no mercado as duas maiores compras da história do futebol: tirou Neymar do Barcelona e Mbappé do próprio Monaco.

Em 15. 16, 18 e 20 o PSG ganhou os quatro troféus em jogo no país: campeonato, Copa, Copa da Liga e Supercopa, ninguém havia conseguido fazer isso uma vez sequer. Aliás, a Copa da Liga deixou de existir.

Mas, em uma temporada instável, em que Neymar passou um tempo machucado, houve troca de técnico e, essencialmente, o PSG achou que ganharia quando quisesse, a Ligue 1 escapou das mãos. O pequeno Lille é o líder, com três pontos a mais e somente duas rodadas pela frente.

Nos dois próximos domingos, o Lille enfrenta Saint Étienne e Angers - dois times de meio de tabela, que já nem vão se classificar para alguma competição europeia e nem vão cair para a segunda divisão.

O PSG já perdeu oito partidas na Ligue 1, o que não acontecia desde 2010/2011, quando o clube acabou em quarto e justamente na última temporada antes de o dinheiro do Catar começar a jorrar. O campeão daquele ano foi o Lille, que conquistaria seu terceiro título de sua história (os outros foram em 1946 e 1954).

Com a diferença de orçamentos e a presença de dois dos jogadores mais badalados do mundo no elenco, é inaceitável para o Paris perder o campeonato local. Um vexame do projeto, que acaba de ter garantida a renovação de Neymar até 2025. O plano é e sempre foi ganhar a Champions League, o Paris caiu na final no ano passado e na semifinal neste, mas a obrigação doméstica teria de ser feita sem sobressaltos.

Se perder mesmo o campeonato, o PSG ainda tem uma chance de não passar a temporada de mãos vazias. Na quarta, enfrenta o Montpellier pela semifinal da Copa da França. Se passar para a final, o possível adversário será o Monaco, que joga a semi contra um time da quarta divisão.

Outro vexame a ponto de acontecer é a Juventus ficar fora do G4 na Itália, após os 3 a 0 sofridos diante do Milan, ontem.

A Juve está na quinta posição, com 69 pontos, um a menos que o Napoli e três a menos que Atalanta e Milan. Um destes irá sobrar, os outros três irão acompanhar a campeã Internazionale na próxima Champions. O detalhe é que a Juve perde no confronto direto (primeiro critério desempate) para os três, então realmente precisa ultrapassar alguém para voltar ao G4 - já não depende mais de si.

Nas próximas rodadas, a Juve enfrenta Sassuolo (quarta), Inter (sábado) e encerra contra o Bologna. O Napoli não tem nenhum bicho papão pela frente (Udinese na terça, depois Fiorentina e Verona, todos no meio da tabela e sem grandes motivações). Milan e Atalanta têm tabelas tranquilas antes de se enfrentarem na última rodada, podendo até "negociar" um empate.

A situação da Juve não está fácil. Para um time que trouxe Cristiano Ronaldo e queria ganhar a Europa, o desafio agora é bem menos espetacular: é simplesmente estar na Europa. É ganhar e secar os outros.

OUTROS CAMPEÕES

A Juventus, é bom lembrar, vinha de nove títulos consecutivos na Itália. Quem quebrou a série foi a Inter, campeã pela primeira vez desde 2010.

Quem igualou esta marca foi o Bayern de Munique, que neste fim de semana conquistou o título da Bundesliga alemã também pela nona vez consecutiva. O "doblete", no entanto, não será conquistado. A final da Copa da Alemanha, quinta-feira, reunirá o RB Leipzig e o Borussia Dortmundo.

Na Holanda, o campeão também já definido e sem surpresas: é o Ajax. Na Inglaterra, o Manchester City desperdiçou um match point ao perder para o Chelsea, em uma prévia da final da Champions. Mas ainda tem 10 pontos de vantagem e o título virá nesta semana caso o Manchester United perca uma ou empate as duas partidas que fará contra Leicester (terça) e Liverpool (quinta). Se o United fizer pelo menos quatro pontos, o próximo match point para o City será na sexta-feira, em Newcastle.

JOGOS PARA NÃO PERDER NESTE MEIO DE SEMANA:

TERÇA
14h Manchester United x Leicester - Fox
15h45 Napoli x Udinese - Bandsports
16h30 Sporting x Boavista - ESPN 2
17h Levante x Barcelona - Fox

QUARTA
15h45 Atalanta x Benevento - Bandsports
15h45 Torino x Milan
15h45 Sassuolo x Juventus
16h Montpellier x PSG - semifinal Copa
17h Atlético de Madrid x Real Sociedad - ESPN

QUINTA
15h45 Leipzig x Borussia Dortmund - final Copa
16h15 Manchester United x Liverpool - ESPN Brasil
17h Granada x Real Madrid

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL