PUBLICIDADE
Topo

Julio Gomes

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Sorteio põe Neymar no caminho mais duro possível para jogar outra final

Neymar chora com a derrota do PSG para o Bayern na final da Liga dos Campeões de 2020 - Michael Regan / UEFA / Handout/Anadolu Agency via Getty Images
Neymar chora com a derrota do PSG para o Bayern na final da Liga dos Campeões de 2020 Imagem: Michael Regan / UEFA / Handout/Anadolu Agency via Getty Images
Conteúdo exclusivo para assinantes
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

19/03/2021 08h55

Há tempos dizemos que, se Neymar quiser mesmo ser eleito o melhor do mundo - e está na cara que quer, e muito -, ele terá de triunfar na Liga dos Campeões da Europa. No ano passado, na bolha de Lisboa, bateu na trave. O Paris Saint-Germain chegou à final pela primeira vez em sua história, mas caiu diante do Bayern de Munique.

Agora, em 2021, o PSG passou do Barcelona nas oitavas de final mesmo sem Neymar - Mbappé e Navas brilharam. Messi está fora. Cristiano Ronaldo também. Caminho aberto, certo? Errado.

O sorteio desta sexta-feira colocou o Paris no caminho mais complicado possível para chegar à final de Istambul, que será disputada em 29 de maio. Para chegar lá, o PSG terá de enfrentar o time a ser batido, o campeão da Europa e do mundo, o Bayern de Munique. E, depois, possivelmente o time que mais tem condições de destronar o Bayern - o Manchester City, de Guardiola.

Estão todos do mesmo lado da chave. Em abril, Bayern e PSG se enfrentam em ida e volta, com primeiro jogo em Munique, o segundo em Paris. Já o Manchester City receberá o Borussia Dortmund, de Haaland, como franco favorito, mesmo sendo o jogo de volta na Alemanha.

Os vencedores se enfrentarão em uma das semifinais, com primeiro jogo em Munique ou Paris e a partida de volta em Manchester ou Dortmund. As probabilidades maiores indicam que teremos o aguardado duelo entre Bayern e City, os dois melhores times da Europa no momento, na semifinal. Cabe a Neymar e ao PSG a tarefa hercúlea de desafiá-los.

O Paris não faz uma temporada boa. Já trocou de técnico (de Tuchel para Pochettino) e não lidera na França, mas esteve à altura do que se espera dele na partida de ida contra o Barça (goleada por 4 a 1 no Camp Nou). Já o Bayern de Munique lidera na Alemanha e não perde uma partida de Champions League há dois anos (18 vitórias e 1 empate no período, com 3,5 gols por jogo de média). O Manchester City é o líder folgado na Inglaterra e ganhou 24 dos últimos 25 jogos que fez na temporada.

A boa notícia para Pochettino é que poderá armar o PSG da maneira mais óbvia para estes confrontos, aproveitando uma virtude do time e com espaço. Defesa e meio compactos, fechadinhos, e muita velocidade com Neymar, Mbappé e Di María nos contra ataques.

Do outro lado da chave, o Real Madrid enfrenta o Liverpool e o Porto joga contra Chelsea, com os duelos de volta destes confrontos marcados para a Inglaterra. Na semifinal, quem decidirá em casa será quem passar de Porto e Chelsea.

Real e Liverpool reeditam a final de 2018, quando os técnicos já eram Zidane e Klopp e o Madrid ganhou seu título número 13 da Europa. Os dois times vivem uma montanha russa na temporada, alternando bons e maus resultados e atuações e tendo de lidar com lesões importantes. O Real está em terceiro no Espanhol, o Liverpool em sétimo na Premier. Quem passar deste duelo de titãs chegará forte para a semifinal.

Do outro lado, o Chelsea é franco favorito para eliminar o Porto. O time de Tuchel, ex-técnico do PSG, sofreu somente 2 gols nos 13 jogos deste a chegada do alemão ao comando (9 vitórias e 4 empates).

Em 2005, na única vez que a final foi disputada em Istambul e última em que o torneio não teve nem Messi nem Cristiano Ronaldo nas quartas de final, Liverpool e Chelsea fizeram uma das semifinais - o Liverpool seria campeão em cima do Milan, na que foi possivelmente a maior final de todos os tempos.

Palpites? Acredito que o Bayern estará acompanhado dos três ingleses nas semifinais. Nas casas de apostas, após o sorteio, o Manchester City foi alçado a "favorito" ao título por uma pequena margem. E vocês, o que acham?

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL